El Salvador. Gangues rivais selam a paz

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Estamos em guerra: nacionalismo, imperialismo, cosmopolítica. Artigo de Étienne Balibar

    LER MAIS
  • Em vitória histórica, STF reconhece proteção do clima como dever constitucional

    LER MAIS
  • Bioeconomia, a ‘evolução do agro’ que mira na sociobiodiversidade brasileira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Março 2012

Num fato sem precedentes, gangues rivais comprometeram-se, em carta enviada à imprensa, a ser parte da solução de uma guerra que se viram obrigados a travar por causas sociais de exclusão, marginalização, repressão e sobrevivência.

“Queremos pedir perdão por 22 anos de guerra entre grupos. Sabemos que o fenômeno das gangues trouxe luto e dor ao povo salvadorenho, não podemos reviver os mortos, mas podemos evitar que sigam morrendo mais”, disse Carlos Ernesto Mojica, conhecido como o Velho Lin, líder de uma das gangues.

A informação é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 29-03-2012.

A veracidade do documento, divulgado na imprensa em 19 de março, foi confirmada pelo bispo capelão militar, Fabio Colindres, e o ex-comandante de grupo da guerrilha, Raúl Mijango, que acompanharam o processo de paz entre as gangues.

Em ofício religioso na cadeia de Ciudad Barrios, que hospeda “pandilleros” considerados de alta periculosidade, Colindres pediu aos meliantes para dar continuidade a “esse gesto extraordinário que nasceu do coração de vocês”. A missa foi assistida por jornalistas. O líder da mara MS13, Dionisio Arístides Umanzor, disse que eles estavam atuando de boa fé. “Estamos conscientes que falhamos perante Deus e a sociedade. Em nome de toda minha liga, a MS13, quero pedir perdão à sociedade, e que nos dêem uma oportunidade de poder mudar”.

Dados oficiais anunciam que nos últimos dias os casos de assassinatos caíram de 13 para cinco por dia.

Tanto o líder da mara 18 como o da mara MS13 pedem que possam ser reintegrados na sociedade, lhes dêem crédito e condições de estudar.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

El Salvador. Gangues rivais selam a paz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV