Bispo equatoriano encerra "jejum pela reconciliação"

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • A “revolução litúrgica” de Francisco põe fim às missas tradicionalistas e restaura a reforma conciliar “em toda a Igreja do Rito Romano”

    LER MAIS
  • O crepúsculo do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Nicarágua. As Irmãs de Madre Teresa de Calcutá acusadas pelo governo Ortega de “não respeitar as leis contra o terrorismo e a proliferação de armas de destruição em massa” (sic)

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Junho 2011

"Hoje [quinta-feira] Dom López Marañón conclui o jejum". Com essas palavras, a porta-voz, María de los Ángeles Vaca, anunciou o fim do período de oração por Sucumbíos, iniciado por Dom Gonzalo no último dia 24 de maio. Vinte e quatro dias de oração e de jejum para curar feridas e reconciliar Sucumbíos.

A nota é do blog da Igreja de San Miguel de Sucumbíos - Isamis, 16-06-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O anúncio foi tornado público em nível nacional através da Rede de Emissoras Populares Corape e, mais tarde, através da Rádio Pública do Equador, que transmitiu ao vivo e direto do acampamento pela reconciliação. E, em nível latino-americano, graças à Associação Latino-Americana de Educação Radiofônica - Aler.

Um grupo de Sucumbíos chegou na madrugada desta quinta-feira ao acampamento para acompanhar o bispo, com representantes das pastorais, da Federação de Mulheres de Sucumbíos, dos padres diocesanos, totalizando cerca de 40 pessoas. Todos celebraram com rosas e gritos de alegria a notícia.

Na tarde desta quinta-feira, está prevista uma coletiva de imprensa em que Dom Gonzalo dará os motivos da sua decisão. Depois, como faz todos os dias há 24 dias, ele irá celebrar a missa. Após, se retirará para dormir em sua casa e começará a ingerir alimentos progressivamente.

Na manhã desta sexta-feira bem cedo, a equipe de coordenação levantará e desmontará o acampamento, que, por 24 dias e 24 noites, acolheu uma ação que, sem dúvida, marcará um antes e um depois na história de Sucumbíos... e da "Igreja católica, apostólica e equatoriana", como alguém alguém na missa desta quarta-feira.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispo equatoriano encerra "jejum pela reconciliação" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV