Movimentos Sociais do Equador protestam contra a presença dos Arautos em Sucumbíos

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Mai 2011

Em carta aberta de 18 de maio de 2011, os Delegados da Comissão Coordenadora de Organizações Sociais de Sucumbíos manifestam-se sobre os últimos acontecimentos em Sucumbíos. A carta encontra-se no sítio Isamis, 19-05-2011. A tradução é do Cepat.

Eis a carta.

Estimados amigos e amigas,

Sabemos que vocês estão acompanhando a nossa luta para deter as nefastas consequências que significaram para a nossa província a chegada dos Arautos do Evangelho, que vieram para desmontar um projeto de província sustentado no reconhecimento da diversidade, na organização dos diversos setores cidadãos e na solidariedade.

Com estes elementos, temos sido capazes de resistir e enfrentar todos os conflitos que sofremos por ser zona de fronteira e por muitos anos estar à margem dos benefícios das políticas estatais.

Neste momento, estamos em um ponto crítico de nossa luta: no dia 16 de maio de 2011, os Arautos do Evangelho quiseram tomar o controle da nossa Rádio Sucumbíos, para o que colocaram cadeados nas portas, cortaram o telefone, trocaram as senhas dos computadores para impedir o seu uso, cortaram o sinal da rádio e, além disso, entregaram cartas de demissão a 17 trabalhadores da rádio.

Diante desta situação, um grupo de representantes das organizações sociais da Província, se deslocou imediatamente até a rádio para apoiar o pessoal e proteger as instalações resistindo ao desalojamento que o fiscal Over Jaramillo quis fazer com o apoio da polícia. A partir desse momento, nos mantemos dentro deste meio de comunicação, que consideramos ser um meio do povo de Sucumbíos, que desde a sua criação tem servido aos interesses provinciais e da região amazônica, recebendo o apoio de um grande setor da população.

Diante desta situação de comoção social que se produziu em Sucumbíos, solicitamos ao Governo Equatoriano, que cumpra a palavra do Sr. Presidente da República, que repetidamente manifestou publicamente sua disposição em proteger o processo de Sucumbíos, para o qual teve muito a ver a incidência da Missão Carmelita, que desenvolveu seu trabalho sob as orientações do Vaticano II e das Conferências Episcopais da América Latina, como uma igreja comprometida com os setores mais marginalizados da sociedade, não permitindo que uma Congregação como os Arautos do Evangelho, alinhada com os setores mais conservadores da Igreja e com claros vínculos com o movimento Tradição, Família e Propriedade interrompa o mesmo. Neste sentido, anunciou que estava disposto a revisar o Modus Vivendi com o Vaticano e tirar os Arautos do Evangelho de Sucumbíos.

No dia 17 de maio, veio até Lago Agrio uma comissão integrada por dois funcionários do Ministério do Interior e da Secretaria dos Povos, que lamentavelmente não puderam dar uma resposta imediata, como esperado pela população de Sucumbíos, que chegou ao limite de sua tolerância frente aos desmandos da Congregação dos Arautos do Evangelho. Como uma resposta a esta situação um setor da população de Sucumbíos procedeu à tomada do salão paroquial e de todo o entorno da Catedral, como símbolos da nossa luta.

Hoje, 18 de maio, os Arautos ratificaram a ordem de despejo em massa dos trabalhadores da rádio e estão fazendo os trâmites para o desalojamento da rádio e do salão paroquial.

Diante desta situação, solicitamos seu apoio divulgando e pedindo a solução por parte do governo de maneira imediata devido às graves consequências em termos de arrasamento e divisão que estamos vivendo há mais de seis meses. As ações podem incluir: escrever cartas de apoio dirigidas ao Presidente, aos Ministros do Interior e da Justiça; mobilizações ao Palácio de Governo ou vir até Lago Agrio para tornar presente sua solidariedade, etc.

Amigos/as, é hora de expressar na prática sua solidariedade e apoio à nossa luta.

Delegados da Comissão Coordenadora de Organizações Sociais da Província:
Delia Malvay, Federação de Mulheres de Sucumbíos;
Marcelo Arana, FEPP Lago Agrio;
Pedro Grefa, Dirigente Nacionalidades.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Movimentos Sociais do Equador protestam contra a presença dos Arautos em Sucumbíos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV