Católicos tradicionalistas atravancam caminhada ecumênica

Mais Lidos

  • Atividade, no formato live, será na terça, 05-03, a partir das 10h

    Influenciadores digitais católicos em debate no IHU

    LER MAIS
  • A identidade de católico, o Papa e o cristianismo de libertação versus a direita. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Francisco: pedi para realizar estudos sobre a ideologia de gênero, o perigo mais feio hoje

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

02 Março 2011

Um grupo de católicos tradicionalistas, seguidores de Marcel Lefebvre, pressionou o bispo da Diocese de Santa Maria, dom Hélio Adelar Rubert, a retirar a cedência da igreja católica local para a sagração do bispo eleito da Igreja Episcopal Anglicana (IEAB), cônego Francisco de Assis Silva, no dia 20 de março.

A notícia é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 02-03-2011.

O templo anglicano local está em reformas, daí o pedido de empréstimo do templo católico. Além de ser contrário a qualquer atividade ecumênica, o grupo tradicionalista frisou que anglicanos ordenam gays e mulheres. O cônego José de Deus Luongo da Silveira, da IEAB local, lamentou o fato em carta, destacando que se tratava de um desserviço à causa ecumênica.

Encontro no dia 20 de fevereiro reuniu, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, o primaz anglicano, dom Maurício de Andrade, o bispo católico local, o presidente regional do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), bispo católico emérito dom Sinésio Bohn, o cônego José Luongo, o bispo anglicano eleito e outras autoridades das duas denominações para análise da situação.

"A reação dos católicos tradicionalistas foi violenta. Aqui, ocorreu um mal-entendido, que foi resolvido", disse à ALC o coordenador diocesano de pastoral, padre Rubens Natal Dotto.

Dom Maurício agradeceu "a firme e reiterada disposição" da Igreja Católica de acolher os anglicanos em sua catedral, mas, ouvindo as suas lideranças clericais e leigas, resolveu transferir a ordenação e sagração do cônego Francisco de Assis Silva para o templo anglicano.

Depois do episódio, anglicanos e católicos romanos de Santa Maria, apesar dos esforços do grupo tradicionalista, "selam o compromisso de estreita caminhada ecumênica" e entendem o ecumenismo como irreversível, como expressão da vontade de Deus.

"Cremos que o verdadeiro ecumenismo não se realiza só por decreto das autoridades eclesiásticas se nas bases, nas pequenas comunidades e no meio do povo de Deus esse espírito de unidade não fizer parte das lideranças locais", manifestam católicos e anglicanos de Santa Maria.

A catedral católica de Santa Maria já foi cedida, quando dom Ivo Lorscheiter pastoreava a diocese, para a ordenação de bispo anglicano. "Cremos que todos os batizados que aceitam a Jesus Cristo como seu Salvador estão em comunhão entre si, ainda que imperfeita, e que se torna imprescindível buscar a superação das divergências doutrinárias, históricas e culturais", testemunham os líderes das duas denominações.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Católicos tradicionalistas atravancam caminhada ecumênica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU