Queimadas em MS podem ter relação com morte de peixe

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


31 Janeiro 2011

Cardumes de pintados, pacus, dourados, cacharas e até arraias estão boiando mortos no Rio Negro, em Aquidauana, no Pantanal de Mato Grosso do Sul. A Polícia Militar Ambiental estima a mortandade em várias toneladas de peixes, mas ainda não tem a dimensão total do desastre.

A reportagem está publicada no jornal O Estado de S. Paulo, 01-02-2011.

O biólogo Roberto Gonçalves Machado, do Instituto Estadual de Meio Ambiente, constatou ontem pela manhã a ocorrência do fenômeno considerado de grande proporção, depois de voar sobre a região da sub-bacia do Rio Negro. No local, considerado um dos berçários de reprodução de peixes pantaneiros, a pesca é proibida.

Entre os sintomas verificados durante a mortandade está o fato de que os peixes agonizaram com a cabeça fora de água em busca de ar, por causa da falta de oxigênio na água.

Essa deficiência é consequência do grande volume de cinzas produzidas pelas queimadas, que é levada pelas enxurradas para o leito dos rios pantaneiros.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Queimadas em MS podem ter relação com morte de peixe - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV