A teologia de Francisco e os Santos Inocentes de Lampedusa

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • “O virtual não pode ser tudo, porque se for tudo, a vida não faz sentido”. Entrevista com Cédric Durand

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Agosto 2013

Lampedusa pode ser vista realmente como a capital do novo modo de ser Igreja trazido por Francisco. O papa que veio do fim do mundo a levou ao centro da Terra.

A opinião é do jornalista e ex-deputado italiano Ettore Masina, em artigo publicado na revista Jesus, de agosto de 2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Não há nada de mais tocante do que ver realizado um desejo próprio na vida comunitária da Igreja. Alguns dos 20 leitores desta coluna talvez se lembre que, há alguns meses, em conexão com uma "carta aberta" na qual a prefeita de Lampedusa gritava a sua dor pela indiferença de muitos perante o drama dos desembarques, escrevíamos: "Eu não conheço a prefeita Nicolini, muito menos sei se ela se define como cristã. Mas me comove a dureza da denúncia e, ao mesmo tempo, o calor dos afetos (ousaria dizer 'maternos') com os quais ela olha para a dignidade negada pelo massacre dos pobres. Eu realmente gostaria que alguns dos meus amigos sacerdotes lessem esse documento na sua inteireza em algumas assembleias. Não esqueçamos que, depois do Natal, vem a festa litúrgica dos Santos Inocentes: as crianças de Belém exterminadas por Herodes: 'Qui non loquendo sed moriendo confessi sunt; não testemunharam a sua fé com palavras, mas com a morte'".

Milhares e milhares de pequenos, de mulheres e de homens morreram nesses anos de silêncio do mar porque nós traímos a sua esperança na nossa ajuda. E justamente o Papa Francisco quis celebrar a liturgia dos Santos Inocentes na sua missa em Lampedusa, ao lado do assustador depósito dos destroços de tantos naufrágios.

Esse irmão mais velho está nos guiando a uma releitura do Evangelho, que sacode até as raízes a erva daninha de uma indiferença à dor dos povos e dos indivíduos, aquela "anestesia dos sentimentos" que muitos católicos ou que assim se dizem também compartilham.

Enquanto nos torna tão amável "a Igreja do sorriso e do abraço" que ele nos apresenta a cada dia, Francisco também nos chama, porém, a uma Igreja do compromisso e da responsabilidade, que tem pouco a ver com uma estrutura clerical em que os títulos, as vestes (e muitas vezes os interesses mundanos) parecem muito distantes do seguimento do Cristo.

Começou diante dos nossos olhos (mas também nas nossas consciências) uma "teologia do pequeno" que nos recorda os paradoxos do Evangelho (a marginalidade de Belém, o desprezo pela Galileia, o desamparo de Jesus, as traições de Pedro) e as suas duras exigências.

O Concílio Vaticano II fez ressoar a voz dos Padres da Igreja em cada um de nós: "Alimenta o que morre de fome, porque, se tu não o alimentas, és tu que o matas".

Acho que Lampedusa pode ser vista realmente como a capital desse novo modo de ser Igreja. A invasão dos refugiados bloqueou o destino que lhe era preparado pelos especuladores, o de se tornar uma máquina-para-turistas. Uma comunidade cristã exemplar soube se encarregar de um destino imprevisto (que naturalmente requer, e merece, generosa atenção). O papa que veio do fim do mundo a levou ao centro da Terra.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A teologia de Francisco e os Santos Inocentes de Lampedusa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV