Reabilitado o teólogo Andrés Torres Queiruga

Mais Lidos

  • Informação falsa envolve Catedral de Brasília e primeira-dama

    LER MAIS
  • O Rito Amazônico toma forma a partir de baixo e das Igrejas locais

    LER MAIS
  • Milei está no fundo do poço de uma esquerda envelhecida. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

14 Agosto 2023

Pontualmente e com grande acuidade respondeu o teólogo-filósofo de Santiago de Compostela. Em sua opinião, as declarações da Notificação "foram injustas, mas sobretudo teologicamente infundadas e enganosas". Grupos de teólogos, setores de várias universidades, padres se levantaram em sua defesa e em defesa da liberdade de pesquisa teológica, segundo o cientista político italiano Francesco Strazzari, professor de Relações Internacionais na Scuola Universitaria Superiore Sant’Anna, em Pisa, na Itália, em artigo publicado por Settimana News, 13-08-2023.

Eis o artigo.

Sem dúvida, Andrés Torres Queiruga é um dos mais prestigiados teólogos espanhóis contemporâneos, há anos no cenário teológico com grande erudição, meticulosidade histórica, intuição criativa.

Era 2012 quando a Comissão para a Doutrina da Fé da Conferência Episcopal Espanhola publicou uma Notificação sobre a obra de Queiruga. A comissão foi então presidida por Dom Adolfo González Montes, ex-bispo de Almería. O secretário era o atual bispo de Jerez de la Frontera, Dom Rico Pavés, notória e descaradamente membro da ala ultraconservadora da hierarquia católica, bem protegido por cardeal Rouco.

A Notificação afirmava claramente que algumas obras de Queiruga não eram exatamente "heréticas", mas não correspondiam à tradição da Igreja e continham pelo menos sete importantes distorções no campo da fé.

Andrés Torres Queiruga (Foto: Wikimédia Commons)

Pontualmente e com grande acuidade respondeu o teólogo-filósofo de Santiago de Compostela. Em sua opinião, as declarações da Notificação "foram injustas, mas sobretudo teologicamente infundadas e enganosas". Grupos de teólogos, setores de várias universidades, padres se levantaram em sua defesa e em defesa da liberdade de pesquisa teológica.

Alguns bispos mais abertos, que conheciam bem Queiruga e apreciavam sua pesquisa e seu empenho em "reformular e repensar a fé no paradigma da modernidade", preferiram o silêncio e algumas palavras subterrâneas de encorajamento. Após a Notificação, na Espanha e em algumas dioceses da América Latina, Queiruga foi contado entre os réprobos e proibido de dar conferências.

O novo arcebispo de Santiago de Compostela, D. Francisco José Prieto Fernández, bom teólogo e biblista, com estudos na Gregoriana (Roma) e na Universidade de Salamanca, onde se qualificou como o melhor dos alunos.

Dom Francisco José entrou em campo, pedindo que Queiruga seja convidado a uma conferência e participação em uma mesa redonda por ocasião da 22ª Jornada de Teologia organizada pelo Instituto Teológico de Compostela de 6 a 7 de setembro próximo. O título da palestra de Queiruga será "Repensando a relação entre teologia e ciência na atualidade", tema que lhe é muito caro.

É de se perguntar como o arcebispo emérito de Santiago de Compostela, D. Julián Barrio Barrio, que havia ignorado completamente o grande teólogo e qual será a reação do cardeal Rouco, ex-arcebispo de Santiago, seus delfins e outros bispos.

Toda a comunidade teológica, não só espanhola, mas internacional, na qual Queiruga é conhecido e estimado, tendo sido durante anos membro da comissão internacional da Concilium, revista da qual é membro da comissão científica, aplaude a coragem de D. Francisco José.

O corajoso Dom Francisco José Prieto Fernández sabe que corre riscos, mas não se arrepende de sua escolha. Dizem que ele é um homem tenaz e obstinado. Ele vem de Orense, onde nasceu em 1968; tem um respeitável currículo de estudos e conhece a arquidiocese de Santiago, da qual se tornou auxiliar em 2021. Desde 03-06-2023 é arcebispo titular da mesma diocese.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Reabilitado o teólogo Andrés Torres Queiruga - Instituto Humanitas Unisinos - IHU