#guerra e paz. Artigo de Gianfranco Ravasi

Mais Lidos

  • “A saída da guerra na Ucrânia está na China”. Entrevista com Vijay Prashad

    LER MAIS
  • A doutrina cristã e o devir da sexualidade humana. Uma carta dos bispos escandinavos. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS
  • A solução para o caos ambiental de Belo Monte está na mesa do Ibama

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Novembro 2022

Em tempos de guerra, os jovens matam os idosos. Em tempos de paz são os idosos que matam os jovens.

O comentário é do cardeal italiano Gianfranco Ravasi, ex-prefeito do Pontifício Conselho para a Cultura, publicado por Il Sole 24 Ore, 13-11-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

É fácil compartilhar a primeira afirmação desse aforismo atribuído à sabedoria chinesa. Os jovens, de fato, são mais fortes e mais ágeis na batalha, podem passar por cima e abandonar à sua sorte os idosos; se eles os têm como adversários, são mais rápidos em acertá-los com uma lâmina ou um tiro de fuzil. É a segunda afirmação que inverte os papéis entre idosos e jovens que cria uma surpresa. Mas, sob o véu arcaico do ditado, esconde-se uma realidade que vivenciamos na sociedade contemporânea com as jovens gerações cada vez mais destinadas a um futuro incerto e aleatório. O exemplo que costuma ser trazido é o da enorme dívida pública que recairá sobre os seus ombros.

Mas a lista pode continuar com sua dificuldade de encontrar trabalho, casa e família, com sua marginalização no planejamento político, com os estereótipos de uma educação estagnada, com uma religião incapaz de incutir emoção ou uma visão elevada da vida, com uma linguagem distante e incapaz de se comunicar com eles.

Dito tudo isso, deve-se reconhecer com realismo que também os jovens muitas vezes oferecem o peito aos golpes dos idosos com sua inércia e deixando-se levar pela deriva ou pela rebelião. O Papa João XXIII dirigiu-se a eles assim: “Vocês falam sobre os idosos as mesmas coisas que nós costumávamos falar quando jovens. Está correto. Mas um dia outros jovens dirão o mesmo de vocês”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

#guerra e paz. Artigo de Gianfranco Ravasi - Instituto Humanitas Unisinos - IHU