Para Francisco: Ecumenismo e missão estão interrelacionados

Mais Lidos

  • Noiz por noiz: Quem são os sujeitos periféricos?

    LER MAIS
  • Em boa fé – A religião no século XXI. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS
  • As últimas aulas públicas de Adriana Dias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Setembro 2022

 

A reconciliação entre as igrejas é necessária para alcançar a reconciliação em outros âmbitos, afirmou o papa Francisco em mensagem dirigida à 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), reunida em Karlsruhe, Alemanha.

 

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista.

 

A mensagem foi lida pelo presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Kurt Koch, na primeira sessão do evento, dia 1º de setembro. “A reconciliação entre os cristãos é pré-requisito fundamental para a missão crível da Igreja”, pois “ecumenismo e missão se pertencem e se interrelacionam mutuamente”, destacou Francisco.

 

Ao se reportar ao tema da AssembleiaO amor de Cristo leva a reconciliação e a unidade ao mundo -, o papa frisou que cristãos devem dar um testemunho comum do Evangelho em resposta à injustiça e à divisão no mundo, não só entre as igrejas, mas também entre religiões, culturas, povos, nações e toda a família humana.

 

Em mensagem visual, o patriarca ecumênico Bartolomeu referiu-se ao “pecado de ignorar a presença divina em todas as coisas e em todas as pessoas”. Também se referiu à incapacidade de olhar além “de nós mesmos para discernir e detectar o propósito pelo qual Deus criou todos os seres humanos e todas as coisas”. Perguntou, então, “como podemos reconciliar nossa magnífica fé com nosso evidente fracasso?”

 

O patriarca qualificou o câmbio climático como a maior ameaça ao planeta e invocou arrependimento “por nossos hábitos irresponsáveis e nossas práticas destrutivas para com outras pessoas e com respeito aos recursos naturais”. Lembrou o “sofrimento injusto” provocado pela guerra na Ucrânia. “Nunca deveríamos reduzir nossa vida religiosa a nossos próprios interesses. Deveríamos recordar sempre nossa vocação de transformar toda a criação de Deus”, proclamou.

 

O CMI é uma comunhão de igrejas fundado em 1948 e reúne 352 igrejas das famílias protestantes, evangélicas, ortodoxas e anglicanas, em mais de 120 países. A organização ecumênica também trabalha em cooperação com a Igreja Católica Apostólica Romana.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Para Francisco: Ecumenismo e missão estão interrelacionados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU