11 de março, ação inter-religiosa e global pelo clima

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

12 Março 2021

A rede inter-religiosa global “Green Faith International” anunciou para este dia 11 de março uma oração unitária e silenciosa para expressar a necessidade de melhorar a salvaguarda da criação. A escolha do horário às 11h00 não é acidental: os organizadores, de fato, querem simbolizar que “chegamos à décima primeira hora, a última antes do fim” e que, portanto, “já não há tempo para adiar ou arranjar desculpas para não agir".

A reportagem é de Isabella Piro, publicada por Vatican News, 11-03-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

"Pedir uma liderança climática, guiada pela compaixão, amor e justiça": com este objetivo, a rede inter-religiosa global "Green Faith International" lançou hoje, 11 de março, às 11h00, uma ação conjunta pelo clima. Desta forma, em locais de culto e nas casas de todo o mundo, pessoas de diferentes credos e tradições espirituais se unirão virtualmente em oração e observarão alguns minutos de silêncio para a proteção da criação. "Nossos corações estão cheios de preocupação por ver milhões de comunidades, entre as mais vulneráveis do mundo, atingidas pela elevação das temperaturas e do nível do mar, dos incêndios florestais, das secas e das violentas tempestades – pede o anúncio do evento - O nosso imperativo moral não poderia, portanto, ser mais claro do que este: as pessoas de fé devem fazer ouvir a sua voz e mobilizar-se”.

O apelo e a oração

A data e a hora escolhidas para a iniciativa não são acidentais: os organizadores, de fato, querem simbolizar que “chegamos à décima primeira hora, a última antes do fim” e, portanto, “não, é mais hora de adiar ou encontrar desculpas para não agir. Medidas fortes, rápidas e abrangentes são necessárias para limitar efetivamente os efeitos do aquecimento global”.

Em particular, a COP26, a "Conferência das Partes" das Nações Unidas dedicada às mudanças climáticas, está agendada para se realizar em Glasgow, no Reino Unido, de 1 a 12 de novembro próximo. A esperança, explica “Green Faith”, é que decisões concretas possam surgir desse congresso “para garantir 100 por cento de energia renovável para todos; prever o fim dos combustíveis fósseis, da agricultura industrial e do desmatamento, e para criar milhões de empregos ecológicos com salários decentes”.

Além da oração, pode-se participar da iniciativa assinando a declaração “Humanidade Sagrada, Terra Sagrada”, divulgada pelos organizadores, e que visa promover uma ecologia integral, inseparável do respeito pela dignidade humana e pelo bem comum. Ou se pode tirar uma selfie ao ar livre, sempre às 11h, que contenha uma mensagem pedindo às autoridades de todo o mundo que tomem medidas decisivas para salvar o clima, a Terra e seus habitantes. A foto será então compartilhada nas redes sociais com as hashtags #Faiths4Climate e #SacredPeopleSacredEarth.

As diferentes iniciativas no mundo

Numerosos participantes da iniciativa estão programando momentos específicos: na Bélgica, por exemplo, algumas paróquias católicas convidaram os fiéis a jejuar, reduzir o consumo de água e suspender o uso de automóveis para limitar a poluição. Na Suíça, por sua vez, a Igreja Protestante de Genebra tocará os sinos de seus locais de culto para chamar a atenção dos fiéis, enquanto em Bouxwiller, na Alsácia, os luteranos são incentivados a cozinhar uma refeição apenas com ingredientes da estação e zero km, para calcular o próprio impacto ecológico em todo o ecossistema. Iniciativas semelhantes ocorreram na Austrália, que com seu fuso horário está se aproximando do fim do dia, assistiu a uma manifestação diante do Parlamento para pedir ao governo que se comprometesse a atingir a meta de "emissões zero" até 2030.

Em Minnesota, nos Estados Unidos, mais de 200 membros do clero e pessoas de fé se mobilizarão perto do rio Mississippi para pedir ao presidente Biden que rejeite projetos de combustíveis fósseis.

Vários eventos também estão previstos na África: por exemplo, em Nairóbi, no Quênia, um grupo de jovens de diferentes religiões vai plantar mil árvores e pedir publicamente ao Ministério Nacional de Energia que acabe com a exploração de combustíveis fósseis.

Finalmente, em Santiago do Chile, igrejas católicas e protestantes, junto com templos bahá'ís e budistas, tocarão seus sinos pedindo a seu governo que ponha fim à repressão dos protestos climáticos e ambientais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

11 de março, ação inter-religiosa e global pelo clima - Instituto Humanitas Unisinos - IHU