"Delinquente é quem cria a vingança. O cidadão de segunda classe é o que descarta os outros”, diz o Papa no encontro com 500 pessoas das comunidades ciganas

Mais Lidos

  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Para onde estamos indo? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Os equilíbrios de Lula no Brasil pós-Bolsonaro. Artigo de Bernardo Gutiérrez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

09 Mai 2019

O Papa abraça idealmente os ciganos reunidos na Praça São Pedro, em Roma, afirmando os ideais da igualdade. “É verdade, existem os cidadãos de segunda classe, mas os verdadeiros cidadãos de segunda classe são os que descartam as pessoas, porque não sabem abraçar, sempre tem a boca cheia de adjetivos, sempre descartando os outros, desprezando-os”, afirmou o Papa Francisco ao receber no Vaticano 500 ciganos. “Ao contrário, a verdadeira estrada é a da fraternidade – acrescentou o Papa – com a porta aberta”.

A reportagem é de Andrea Gualtieri, publicada por La Repubblica, 09-05-2019. A tradução é de IHU On-Line.

Francisco continuou: “Deixar o rancor para trás. O rancor adoece tudo, adoece a família. Te leva à vingança, mas a vingança, creio eu, não foram vocês que a inventaram. Na Itália existem organizações que são mestras de vingança. Vocês me compreendem muito bem. Um grupo de gente que é capaz de criar a vingança, de viver a ‘omertà': este é um grupo de gente delinquente, não são pessoas que querem trabalhar".

Leia mais

 

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Delinquente é quem cria a vingança. O cidadão de segunda classe é o que descarta os outros”, diz o Papa no encontro com 500 pessoas das comunidades ciganas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU