Em 2016, o mundo produziu lixo eletrônico equivalente a 4,5 mil torres Eiffel

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Dezembro 2017

Peso total de resíduos eletrônicos chega a 44,7 milhões de toneladas no ano passado; relatório pede esforços globais para melhorar produção de componentes e equipamentos elétricos e eletrônicos; mundo tem mais assinaturas de celular que habitantes.

A reportagem é de Eleutério Guevane, publicada por ONU News, 13-12-2017.

O mundo produziu lixo eletrônico equivalente a 44,7 milhões de toneladas em 2016. Segundo o Monitor de Resíduos Eletrônicos 2017, em tradução livre, houve um aumento corresponde a 8% em relação a 2014.

O estudo, lançado esta quarta-feira, envolve a Universidade das Nações Unidas, a União Internacional das Telecomunicações, UIT, e a Associação Internacional de Resíduos Sólidos.

Aumento

Segundo o documento, o peso de equipamentos eletrônicos e aparelhos gerados no período compara-se a quase a nove grandes pirâmides de Gizé. Entre eles estão frigoríficos, TVs, painéis solares, telefones celulares e computadores.

O estudo destaca que estes correspondem a quase 4,5 mil torres Eiffel, ou 1,23 milhão de caminhões de 40 toneladas alinhados em dois sentidos numa trajetória de Nova Iorque a Bangcoc, capital da Tailândia.

Reciclagem

Os especialistas preveem que o peso do lixo eletrônico aumente 17% para 52,2 milhões de toneladas até 2021, estando o maior crescimento previsto para resíduos domésticos.

Uma das principais recomendações é que haja esforços globais para melhorar projetos sobre componentes e equipamentos elétricos e eletrônicos. A ideia seria facilitar a sua reutilização e reciclagem.

O documento aconselha ainda uma maior recolha e reciclagem dos antigos aparelhos, além de um melhor controle de resíduos e do processo de recuperação.

Telefones celulares

O estudo considera animador que cada vez mais países adotem leis sobre resíduos eletrônicos. Atualmente, 66% das pessoas em 67 nações são cobertas pelas leis nacionais de gerenciamento de resíduos eletrônicos contra 44% em 61 países em 2014.

Com uma população de 7,4 bilhões, o mundo tem 7,7 bilhões de assinaturas de serviços de telefones celulares. Mais de oito em cada 10 pessoas estão cobertas por um sinal de banda larga móvel no planeta.

Lixo eletrônico

Entre os fatores que ajudam a aumentar o lixo eletrônico está o fato de 3,6 bilhões de pessoas usarem a internet. O número corresponde à metade da população mundial ao contrario de um quinto em 2007.

Cerca de metade dos habitantes do planeta têm um computador e acesso à internet em casa.

Além dos serviços celulares móveis pré-pagos básicos e aparelhos, cada vez mais acessíveis, em todo o mundo, caem os preços de máquinas como computadores, equipamentos periféricos, TVs, laptops e impressoras.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em 2016, o mundo produziu lixo eletrônico equivalente a 4,5 mil torres Eiffel - Instituto Humanitas Unisinos - IHU