CMA ainda não concluiu laudo da morte de Juma

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

04 Agosto 2016

O laudo das investigações sobre a morte da onça macho Juma, ainda não foi concluído pelo O Comando Militar da Amazônia (CMA). De acordo com o CMA, o prazo para a conclusão ainda está dentro do esperado e assim que o relatório for concluído, os resultados deverão ser divulgados.

No dia de 7 julho, o Exército Brasileiro foi multado em R$ 40 mil, pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), pelo abate do aimal.

A informação foi publicada por Amazonas em Tempo e reproduzida por Amazônia.org, 03-08-2016. 

A aplicação da multa pelo órgão ocorreu após a conclusão das investigações que apontaram que houve negligência por parte do Exército com os cuidados com o animal, que resultaram no seu abate.

Na ocasião, o Ipaam esclareceu que o CMA foi autuado em R$ 5 mil por contribuir para a utilização de um espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.

Além do Ipaam, o Cento de Instruções de Guerra na Selva (Cigs) foi autuado em R$ 5 mil por utilizar o animal sem a autorização do órgão ambiental competente.

Enquanto o 1º Batalhão de Infantaria na Selva (BIS) recebeu três multas: uma de R$ 5 mil por transportar o animal se autorização, outra de R$ 5 mil por mantêlo em cativeiro sem a devida autorização; e outra de R$ 20 mil por construir e fazer funcionar mantenedouro da fauna sem a licença do órgão ambiental.

O Ipaam realizou três vistorias após a morte da onça, sendo duas no Cigs e uma no 1º BIS.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

CMA ainda não concluiu laudo da morte de Juma - Instituto Humanitas Unisinos - IHU