Papa Francisco abre ao público a fazenda de Castel Gandolfo

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS
  • Wim Wenders, Dias Perfeitos – 2023. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

17 Dezembro 2014

O Papa Francisco abre as portas da fazenda na residência pontifícia de verão, onde são produzidos leite, carne e legumes para o papa e para a sua equipe. A abertura está prevista para o próximo ano e vai permitir que o público veja as galinhas alojadas em uma gaiola em majólica decorada, os avestruzes, os perus, os coelhos e as 80 vacas que alimentam Francisco e a sua equipe junto à Domus Santa Marta.

A reportagem é da agência La Presse, 16-12-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A fazenda faz parte do complexo de Castel Gandolfo, que dispõe de três vilas italianas, incluindo a Villa Barberini, e se estende por 55 hectares, superando o próprio Vaticano (44 hectares).

O Vaticano está projetando abrir ao público a fazendo depois do sucesso das visitas guiadas aos jardins circundantes, fontes e aos tesouros arqueológicos da propriedade. O próprio Francisco queria que os jardins da Villa Barberini fossem visitáveis pelo público, e desde a sua abertura em março foram atravessados por cerca de oito mil pessoas.

Embora os planos ainda não sejam definitivos, o gestor da vila, Osvaldo Gianoli, espera acrescentar ao projeto uma visita à fazenda e uma visita mais completa aos jardins "e, por que não, também a possibilidade degustar os nossos produtos".

A fazenda foi construída entre 1929 e 1934, por vontade do Papa Pio XI, e ainda opera de acordo com os métodos agrícolas da época: "Não é uma fazenda agrícola orgânica, mas funciona com fertilizantes naturais. Produtos químicos sintéticos são usados apenas quando estritamente necessários", explica Gianoli.

Atualmente, são oito pessoas que cuidam dos animais e da horta, onde são cultivados batata, abobrinha, tomate e outros produtos. Um dos membros da equipe, Emilio Scarsella, trabalha na fazenda há 33 anos e serviu a nada menos do que quatro papas.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco abre ao público a fazenda de Castel Gandolfo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU