Musical conta com elenco negro para representação cinematográfica do Evangelho de João

Mais Lidos

  • Eucaristia e Casa Comum: entre a Vida e o ouro. Artigo de Pe. Dário Bossi

    LER MAIS
  • Para Ailton Krenak, o capitalismo “teve metástase”

    LER MAIS
  • Mataram uns 12 milhões de indígenas, contabiliza Las Casas. Artigo de Edelberto Behs

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Dezembro 2018

Para o criador Harry Lennix, o novo filme "Revival!" (Renascimento!, em tradução livre), uma releitura do Evangelho de João com um elenco majoritariamente negro - chegou na hora certa.

A reportagem é de Adelle M. Banks, publicada por Religion News Service, 15-12-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen.

"Acho que o filme nos permite imaginar como Cristo é uma ferramenta poderosa que nos foi negada", disse Lennix, escritor, produtor e ator negro do filme.

Nem João, nem os outros escritores do evangelho descrevem a cor da pele de Jesus. Mas Lennix, em uma entrevista logo após a estreia mundial do filme, que aconteceu na terça-feira (4 de dezembro), no Museu da Bíblia, disse que retratá-lo como um homem negro é algo que os negros muitas vezes "não têm a ousadia de fazer, e isso é até mesmo vergonhoso".

O filme, que apresenta os cantores Chaka Khan como Herodíade, Michelle Williams como Maria Madalena e Mali Music como Jesus, foi lançado no dia 7 de dezembro em 10 cidades, de Nova York a Los Angeles. Se espera levar o filme para mais cidades em janeiro.

Lennix, ator de "The Blacklist", da NBC, disse que a produção foi concebida em sua Nova Igreja Antioquia de Deus em Cristo (New Antioch Church of God in Christ, no original), e traz canções gospel.

"A Nova Antioquia é composta principalmente de pessoas negras", disse ele sobre a congregação pentecostal. "Quando se trata de cantar música gospel, é vital ter vozes autênticas", acrescentou.

Os objetivos de Lennix, tanto para o aspecto de áudio quanto de vídeo do filme foram cumpridos na escolha pelo ator que interpreta Jesus. Mali Music é um artista com indicação ao Grammy e que adicionou canções originais ao filme, incluindo "Not My Will” (Não é minha vontade, em tradução livre), cantada na representação do Jardim do Getsêmani enquanto Jesus está prestes a ser crucificado.

"Atuar como Cristo é muito poderoso. Mas retratar Cristo num musical é ainda mais, porque ninguém pensa em como ele iria cantar, que palavras seriam, como seria sua voz”, disse Music, antes da estreia, que contou com a participação de 350 líderes religiosos, empresários e líderes comunitários.

Além de outras músicas gospel contemporâneas, algumas acompanham a história: "Down By the Riverside” (Lá em baixo, na beira do rio) é cantada na cena em que Jesus é batizado por João Batista; “Oh Mary Don't You Weep” (Oh, Maria, não chore), com Maria e Marta compartilhando um breve pesar pela morte de seu irmão Lázaro; e “Wade in the Water” (Despertar na água). Durante esta última, os dançarinos ficam ao redor de um barco e usam faixas azuis de tecido para simular ondas enquanto Jesus anda sobre a água.

Lennix disse ter escolhido o Evangelho de João, em parte porque era o livro poético com "imagens densas" e "perfeito para o cinema", com o casamento em Caná - onde Jesus transformou água em vinho e a ressurreição de Lázaro dos mortos.

O ex-seminarista católico - Lennix havia considerado o sacerdócio - citou Romanos 8, que menciona se conformar à imagem de Deus como uma motivação fundamental para as pessoas que fizeram parte de "Revival!".

T'Keyah Crystal Keymáh interpreta Rebah, uma mulher membro do Sinédrio, o tradicional tribunal masculino de rabinos, que pede a morte de Jesus. A atriz foi incisiva naquilo que chamou de "correção da cor" do filme.

"Não se trata de um elenco “daltônico”. Na minha opinião a escolha dos atores está plenamente de acordo", disse Keymáh, que foi uma das integrantes do elenco original da série de comédia "In Living Color". "As pessoas daquele tempo eram escuras, então isso não é uma versão negra de alguma coisa, na minha opinião. É apenas uma história sendo contada", acrescentou.

"Revival!" não é a primeira obra em que um elenco predominantemente negro reconta histórias bíblicas. A peça "Black Nativity", do dramaturgo Langston Hughes, que estreou há mais de meio século, foi adaptado para um filme de 2013 que se concentra principalmente no bebê Jesus, Maria e José.

Lennix, que criou sua própria adaptação do Evangelho de João, surpreendentemente se juntou ao elenco como Pôncio Pilatos quando o ator escocês e estrela de "Braveheart", Angus Macfadyen, não pôde filmar suas cenas por conta de uma nevasca que cancelou seu voo.

"Era uma grande parte do filme, e por isso tive que descobrir uma maneira de alguém o substituir", lembrou Lennix. "Como fui eu que escrevi o roteiro, pensei: 'Por que não?'", acrescentou.

Assista ao trailer:

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Musical conta com elenco negro para representação cinematográfica do Evangelho de João - Instituto Humanitas Unisinos - IHU