Jornalistas apuram abusos da Igreja Católica em 'Spotlight'

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

08 Janeiro 2016

"Só resta tentar entender por qual razão tantos abusos permaneceram impunes por tanto tempo", diz Aline Pellegrini, em comentário publicado por Folha de S. Paulo, 08-01-2016.

Eis o comentário

Uma equipe de reportagem do jornal "The Boston Globe", intitulada Spotlight, e a produção da matéria investigativa que buscava expor padres católicos de Massachusetts que abusaram de crianças regem o longa que leva o mesmo nome do grupo de repórteres.

A maior parte do filme, dirigido por Tom McCarthy ("O Visitante"), é ambientada em 2001, quando começaram as investigações impulsionadas pela chegada de um novo editor no "Globe", Marty Baron (Liev Schreiber). 

A produção não se prende a flashbacks nem a dramatizações que não envolvam a apuração e o envolvimento dos próprios jornalistas. Mas, mesmo que os grandes momentos de ação do longa estejam presos a entrevistas com abusados e advogados, além de repórteres farejando documentos, este é um filme envolvente.

Para compreender como a igreja conseguiu manter em silêncio tantas atrocidades cometidas por sacerdotes, é impossível não prestar atenção aos diálogos - em uma cena que não poupa a adrenalina de ninguém, um padre aposentado relata de forma calma e amável sobre já ter molestado uma criança.

Apesar dos avisos dos entrevistados, o pelotão Spotlight, comandado por Walter Robinson (Keaton) e formado por Sacha Pfeiffer (McAdams), Mike Rezendes (Ruffalo) e Matt Carroll (James), não sofre nenhuma ameaça da instituição católica. Assim, só resta tentar entender por qual razão tantos abusos permaneceram impunes por tanto tempo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jornalistas apuram abusos da Igreja Católica em 'Spotlight' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU