Uma intervenção na Síria poderia provocar “uma guerra mundial”, alerta bispo de Alepo

Mais Lidos

  • As responsabilidades das Forças Armadas no golpe. Artigo de Jean Marc von der Weid

    LER MAIS
  • “Gostaria de mais casos de anulação de casamento. Ajuda a curar o sofrimento da separação”, afirma cardeal Zuppi

    LER MAIS
  • Terra Yanomami tem 363 mortes registradas no 1º ano do governo Lula

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Por: Jonas | 28 Agosto 2013

O bispo católico de Alepo, dom Antoine Audo, nesta segunda-feira, advertiu que uma intervenção armada na Síria conjecturaria o risco de “uma guerra mundial” e o jornal do Vaticano criticou a falta de “prudência” dos ocidentais que contemplam esta possibilidade.

 
Fonte: http://goo.gl/ZbyYns  

A reportagem é publicada no sítio Religión Digital, 27-08-2013. A tradução é do Cepat.

“Se ocorrer uma intervenção militar, isto conjecturaria, em minha opinião, uma guerra mundial. Novamente existe este risco. A coisa não é tão fácil”, advertiu dom Audo em declarações a Rádio Vaticano.

“Esperamos que a intervenção do Papa para favorecer um autêntico diálogo entre as diferentes partes do conflito, para encontrar uma solução, possa ser um primeiro passo para não utilizar as armas e atuar de maneira que as pessoas possam viajar, comunicar-se, dialogar”, recomendou este bispo católico caldeu, que também preside a organização humanitária Cáritas Síria.

“Isso é o que esperamos: uma força internacional que ajude a dialogar e não a fazer a guerra”, insistiu.

O jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano, criticou, nesta segunda-feira, os governos ocidentais.

“Os ecos de uma intervenção armada dos países ocidentais são cada vez mais insistentes e menos contidos pelo dever de prudência. Diversos representantes destas nações se dizem convencidos do caráter fundado da acusação de uso de armas químicas pelo exército sírio, uma questão sobre a qual há em curso uma investigação da ONU”, destaca o jornal do Vaticano.

O papa Francisco, no domingo, convidou a fazer “calar o ruído das armas” na Síria ao denunciar uma “multiplicação de matanças e atrocidades” e solicitou à “comunidade internacional encontrar uma solução”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma intervenção na Síria poderia provocar “uma guerra mundial”, alerta bispo de Alepo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU