"Penso positivamente sobre a negociação", disse dom Pozzo em relação aos lefebvrianos

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • A sombra tenebrosa do bolsonarismo. Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Uma contribuição para uma teologia do sacerdócio a partir da tradição afonsina

    LER MAIS
  • A metáfora empregada pelo professor Anselm Jappe, no Ciclo de Estudos Decálogo do Fim do Mundo, evidencia a sanha destruidora de uma sociedade capitalista que pode sentenciar seu próprio fim

    “Estamos num barco sem combustível e arrancando madeiras do casco para alimentar as caldeiras”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Outubro 2011

"Neste momento, o texto do Preâmbulo Doutrinal foi entregue a dom Fellay e aos superiores da Fraternidade São Pio X para que possam examiná-lo e dar uma resposta, que nós esperamos seja substancialmente favorável, positiva, afirmativa. Sempre existe a possibilidade de pedir algumas matizações, alguns esclarecimentos que, da nossa parte, serão oferecidos em um tempo razoável. Perguntar pelo que poderá acontecer caso as dificuldades sejam consideradas graves, insuperáveis, me parece fora de questão".

A reportagem está publicada no sítio Vatican Insider, 04-10-2011. A tradução é do Cepat.

Foi desta maneira que Dom Guido Pozzo, secretário da Comissão Ecclesia Dei (à qual Bento XVI confiou as negociações sobre o aguardado retorno dos lefebvrianos à comunhão com a Igreja católica), respondeu na entrevista para a TV Gloria.

E embora admita que existem "algumas dificuldades, inclusive pela situação crítica em que se encontram muitos católicos, o mundo católico, neste e em outros países", dom Pozzo está otimista quanto ao resultado final do caminho da reconciliação com os tradicionalistas que incorreram no cisma de Lefebvre, caminho que o Papa quis trilhar  há três anos com o Motu Proprio Summorum Pontificum que autoriza o uso do antigo missal em latim e concede o perdão (levantamento das excomunhões) aos quatro bispos que o próprio Lefebvre havia ordenado ilegalmente.

"Não creio – recordou durante a entrevista – que não tenha havido casos semelhantes na história e por isso a resposta é muito simples: quem for verdadeiramente católico não apenas tem o direito, mas que vive e se encontra bem na Igreja católica".

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Penso positivamente sobre a negociação", disse dom Pozzo em relação aos lefebvrianos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV