Pacto pelo Brasil e pela Vida conclama “a união nacional em defesa da vida e da democracia no Brasil”

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • “O virtual não pode ser tudo, porque se for tudo, a vida não faz sentido”. Entrevista com Cédric Durand

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


21 Junho 2021

 

Meio milhão de vidas perdidas”, são as palavras que abrem a carta das seis entidades signatárias do Pacto pela Vida e pelo Brasil, dentre elas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Nela são denunciadas abertamente atitudes do Presidente da República e do governo que tem contribuído para chegar nesta situação.

A reportagem é de Luis Miguel Modino.

As entidades vêm denunciando desde sete de abril de 2020, Dia Mundial da Saúde, os sinais que “indicavam se tratar de um vírus de alta transmissão, com impactos graves sobre o organismo humano”. Diante disso pediam “medidas firmes, guiadas pela ciência, para conter o seu alastramento”, uma atitude não seguida pelo governo brasileiro, empenhado em “manifestações contrárias às medidas recomendadas por organismos sanitários, no cuidado e na promoção da vida humana”, o que causa “estranheza, e também indignação”.

A carta denuncia abertamente o Presidente da República, e seu empenho na “promoção de aglomerações com objetivos ideológico-políticos, estimulando comportamentos sociais com risco epidemiológico”, definindo essas atitudes como “um atentado contra a vida e contra os valores democráticos”.

Junto com isso, também são denunciadas as “manifestações de autoridades promovendo o uso de medicação sem eficácia no combate ao vírus, o descrédito propagado em torno da ciência, a omissão em relação às vacinas, a multiplicação de fake news, a desorientação sanitária e a falta de coordenação nacional no enfrentamento da pandemia cooperaram para que o número de doentes e mortos alcançasse níveis exorbitantes”.

As entidades insistem na pertinência e indispensabilidade da CPI instalada no Senado Federal, que ajude a demonstrar que “negacionismo mata”. Junto com isso, a carta quer desmascarar “a falsa oposição entre salvar vidas e salvar a economia, que ainda alimenta o discurso oficial”, mostrando o sofrimento da população com a falta de vacinas, a falta de trabalho e de perspectivas. Diante da cada vez maior concentração de renda, exigem o necessário auxílio emergencial, que ajude, pois “a fome se instala em milhões de lares”.

O Brasil vê a falta de respeito às instituições da parte de “alguns setores da sociedade e parcela dos governantes”, denuncia a carta, assim como “o vazio de políticas públicas, ao lado das políticas da desconstrução, não só no âmbito da saúde, mas em educação, cultura, meio ambiente, moradia, emprego, geração de renda, apoio à ciência e inovação, revela a sociedade que se sente confusa, abandonada e adoecida”.

Por tudo isso, os signatários do Pacto pelo Brasil e pela Vida, expressam solidariedade e uma palavra de conforto, conclamando “a união nacional em defesa da vida e da democracia no Brasil”, elementos que cada vez têm mais inimigos no Brasil.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pacto pelo Brasil e pela Vida conclama “a união nacional em defesa da vida e da democracia no Brasil” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV