Mudanças Climáticas: O Ártico está em transição para um novo estado climático

Mais Lidos

  • No episódio dessa semana, as contradições de um Brasil dual, o Papa se manifesta sobre o caso Rupnik e a homossexualidade, o Dia de Memória do Holocausto e mais

    Informe IHU: 27/01/2023

    LER MAIS
  • A guerra entre os cardeais católicos

    LER MAIS
  • O Papa substitui Ouellet e nomeia um bispo peruano para a Congregação dos Bispos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

29 Setembro 2020

O Ártico em rápido aquecimento começou a transição de um estado predominantemente congelado para um clima totalmente diferente, de acordo com um novo estudo abrangente das condições do Ártico.

A reportagem é publicada por US National Science Foundation, reproduzida por EcoDebate, 28-09-2020.  A tradução e edição são de Henrique Cortez.

Os padrões climáticos nas latitudes superiores sempre variaram de ano para ano, com mais ou menos gelo marinho, invernos mais frios ou mais quentes e estações mais longas ou mais curtas de chuva em vez de neve.

Mas uma nova pesquisa feita por cientistas do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica ( NCAR ) descobriu que o Ártico se aqueceu tão significativamente que sua variabilidade de ano para ano está se movendo para fora dos limites de quaisquer flutuações anteriores, sinalizando a transição para um "novo Ártico" regime climático.

“A taxa de mudança é notável”, disse a cientista do NCAR Laura Landrum, principal autora do estudo. “É um período de mudanças tão rápidas que as observações dos padrões climáticos anteriores não mostram mais o que você pode esperar no próximo ano. O Ártico já está entrando em um clima completamente diferente do que apenas algumas décadas atrás.”

Landrum e sua co-autora, a cientista do NCAR Marika Holland, descobriram que o gelo marinho do Ártico derreteu de forma tão significativa nas últimas décadas que mesmo um ano excepcionalmente frio não terá mais a quantidade de gelo marinho de verão que existia até meados do século 20 .

As temperaturas do outono e inverno também serão quentes o suficiente para entrar em um clima estatisticamente distinto em meados deste século, seguido por uma mudança sazonal na precipitação que resultará em meses adicionais em que a chuva cairá em vez de neve.

Landrum e Holland usaram centenas de simulações de computador detalhadas, bem como observações das condições climáticas do Ártico. A vasta quantidade de dados permitiu-lhes definir os limites climáticos do “antigo Ártico” – ou quanta variabilidade pode ocorrer naturalmente de ano a ano – e identificar quando o aquecimento causado pelo homem empurrará o Ártico para além desses limites naturais e em um novo clima.

A mudança climática tem consequências enormes e abrangentes para os ecossistemas, gestão de recursos hídricos, planejamento de inundações e infraestrutura.

Referência:

Landrum, L., Holland, M.M. Extremes become routine in an emerging new Arctic. Nat. Clim. Chang. (2020). Disponível aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudanças Climáticas: O Ártico está em transição para um novo estado climático - Instituto Humanitas Unisinos - IHU