Bancários e colégios particulares de SP aderem à greve geral

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Junho 2019

Trinta e dois colégios particulares da cidade de São Paulo e o sindicato dos bancários decidiram, nesta quarta-feira 12, aderir à greve geral contra a reforma da Previdência, marcada para a próxima sexta-feira 14, em todo o Brasil. Eles se juntam a outras diversas categorias que aderiram também à manifestação.

A reportagem é de Alexandre Putti, publicada por CartaCapital, 12-06-2019.

A decisão das escolas partiu dos próprios professores. O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo, que representa as escolas particulares, informou em nota que é a favor da reforma da Previdência e que não apoia a paralisação. A decisão de parar partiu dos funcionários das instituições, que reclamam não estarem classificados como categoria especial na reforma.

Os professores das redes municipal e estadual de São Paulo também estão mobilizados para paralisar as atividades das escolas públicas nesta sexta-feira.

Já os bancários decidiram aderir à paralisação através de uma assembleia realizada no Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. “O governo e os grandes veículos de comunicação ficam o tempo todo repetindo que essa proposta de reforma tem de ser aprovada porque senão o Brasil vai quebrar. O que eles não dizem é que ela coloca a conta do suposto ‘déficit’ da Previdência nas costas do trabalhador e dos mais pobres”, afirma a presidenta do Sindicato, Ivone Silva.

“Eles vão manter privilégios, e ao mesmo tempo vão fazer com que os trabalhadores morram antes de se aposentar. Quando poderiam resolver as contas da Previdência Social por outros meios, como o combate à sonegação ou uma reforma tributária progressiva na qual os ricos pagassem mais impostos”, conclui Ivone.

No Rio, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários e Financiários do Município do Rio de Janeiro também decidiu aderir à paralisação.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bancários e colégios particulares de SP aderem à greve geral - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV