Morre Zygmunt Bauman, o filósofo polonês autor da "Vida Líquida"

Mais Lidos

  • Congo está sendo “martirizado” devido a seus recursos naturais. Vaticano desafiará EUA e China?

    LER MAIS
  • Eucaristia e Casa Comum: entre a Vida e o ouro. Artigo de Pe. Dário Boss

    LER MAIS
  • Três coisas a saber sobre a visita do Papa Francisco ao Sudão do Sul

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Por: Redação | 10 Janeiro 2017


Foto: Forumi Vydavciv / Wkimedia Commons

A agência Ansa informou na tarde desta segunda-feira, 9-1-2017, que o filósofo polonês Zygmunt Bauman morreu. A notícia foi dada por volta das 15 horas, horário de Brasília, mas a causa da morte não foi divulgada. Nascido na cidade de Pozman, Bauman serviu durante a II Guerra Mundial e tornou-se notável por sua extensa obra de reflexão sobre as complexidades do mundo conteporâneo.

Dentre suas dezenas de livros, suas obras mais conhecidas do grande público são as que tratam da liquidez de nossas sociedades: Vida Líquida (São paulo: Jorge Zahar, 2005), Medo líquido (São Paulo: Jorge Zahar, 2006) e Tempos líquidos (São Paulo: Jorge Zahar, 2006). Bauman nasceu no dia 19 de novembro de 1925 e morreu aos 91 anos.

O pensador era casado com Janine Lewinson-Bauman desde o pós-guerra. Deixou três filhos. Sua obra mais recente traduzida no Brasil foi A riqueza de poucos beneficia todos nós? (São Paulo: Jorge Zahar, 2015).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Morre Zygmunt Bauman, o filósofo polonês autor da "Vida Líquida" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU