Farc expulsam cinco comandantes contrários ao acordo de paz

Mais Lidos

  • A guerra entre os cardeais católicos

    LER MAIS
  • Empresários percebem que país já não pode se submeter às forças armadas. Entrevista com Fabio Konder Comparato

    LER MAIS
  • O Papa substitui Ouellet e nomeia um bispo peruano para a Congregação dos Bispos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Dezembro 2016

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) expulsaram cinco comandantes que se recusaram a se desmobilizar e se unir ao processo de paz com o governo do presidente Juan Manuel Santos para encerrar mais de cinco décadas de guerra, disse a liderança da guerrilha.

Os cinco comandantes, todos de unidades presentes na floresta do sudeste do país, incluem um participante das conversas de paz realizadas durante quatro anos em Cuba.

A informação é publicada por O Estado de S. Paulo, 15-12-2016.

"Esta decisão é motivada pela conduta recente deles, que contradiz nossa linha político-militar", informaram líderes das Farc em um comunicado divulgado no final da terça-feira 13. "Pedimos a todos os combatentes que foram induzidos a este caminho sem futuro para se distanciarem desta decisão equivocada tomada por seus comandantes", acrescentaram.

Os comandantes expulsos são o segundo grupo de rebeldes a declararem sua oposição ao acordo de paz, mediante o qual as Farc se converterão em um partido político desarmado. Em julho, um líder da Primeira Frente e alguns de seus combatentes deixaram o grupo em protesto contra o pacto.

Autoridades policiais e militares expressaram temores de que alguns guerrilheiros não se desmobilizarão e manterão o controle das operações lucrativas de cultivo de coca e tráfico de cocaína.

Um acordo de paz modificado, que foi delineado depois que a primeira versão foi rejeitada no plebiscito realizado em outubro, foi assinado pelo líder das Farc, Rodrigo Londoño Echeverri, conhecido como Timochenko, e pelo presidente Santos, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para chegar ao entendimento.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Farc expulsam cinco comandantes contrários ao acordo de paz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU