A malária cobra a vida de mais de meio milhão de pessoas por ano

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • A síndrome do pensamento acelerado

    LER MAIS
  • “Diáconas para uma Igreja sinodal.” Síntese para o Sínodo sobre a Sinodalidade

    LER MAIS
  • Papa Francisco não é contra ‘novos movimentos eclesiais’, ele apenas favorece alguns em detrimento de outros

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 26 Abril 2012

De acordo com o Relatório mundial sobre a malária 2011, da Organização Mundial da Saúde, em 2010 houve 216 milhões de casos, com cerca de 665.000 mortes, o que representa uma diminuição de 25% no mundo inteiro desde 2000.

A reportagem está publicada no sítio da Manos Unidas, 25-04-2012. A tradução é do Cepat.

A maioria das mortes foi de crianças que viviam na África, onde a cada minuto morre uma criança por causa do paludismo, e esta doença é responsável por 22% das mortes infantis.

O que fazemos?

Há apenas três anos, em algumas aldeias do estado indiano de Jharkhand, a taxa de mortalidade por malária era muito elevada e a doença, endêmica na zona, afetava a maioria da população. De fato, muitos de seus habitantes se viam cronicamente incapacitados pelos repetidos ataques de malária, o que, como um círculo vicioso, afetava profundamente as suas já paupérrimas economias; os doentes deviam gastar grande parte de sua renda com o tratamento médico e esses ingressos se viam minguados pela impossibilidade de exercer algum tipo de trabalho. Desta maneira, os doentes se convertiam em uma carga para as suas famílias e comunidades.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A malária cobra a vida de mais de meio milhão de pessoas por ano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV