Consciência Cósmica. Guimarães Rosa na oração inter-religiosa desta semana

Foto: Pixabay

09 Setembro 2022

 

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, colaborador do Instituto Humanitas Unisinos - IHU e do canal Paz Bem.

 

Consciência Cósmica

 

Já não preciso de rir.
Os dedos longos do medo
largaram minha fronte.
E as vagas do sofrimento me arrastaram
para o centro do remoinho da grande força,
que agora flui, feroz, dentro e fora de mim…

 

Já não tenho medo de escalar os cimos
onde o ar limpo e fino pesa para fora,
e nem deixar escorrer a força dos meus músculos,
e deitar-me na lama, o pensamento opiado…

 

Deixo que o inevitável dance, ao meu redor,
a dança das espadas de todos os momentos.
e deveria rir, se me retasse o riso,
das tormentas que poupam as furnas da minha alma,
dos desastres que erraram o alvo do meu corpo…

 

Fonte: João Guimarães Rosa, no livro Magma (Nova Fronteira, 1997). 

 

João Guimarães Rosa (Foto: Reprodução)

 

João Guimarães Rosa (1908 - 1967): foi um escritor mineiro que valorizou o sertão brasileiro em todos seus escritos. Visto como um dos mais importantes autores do país, sua obra ficou marcada pela constante presença das falas populares e regionais. Em 1956 publicou sua mais famosa obra, Grande sertão: veredas, uma narrativa que tem uma notada linguagem cabocla e sertaneja, na qual discute o coronelismo e enreda questões relacionadas à metafísica e à teologia. Além desta, é autor de Sagarana, contos  (1946), Corpo de Baile, novela (1956), Tutameia, contos (1967) e Magma, contos, (obra póstuma de 1997), entre outras. 

 

Leia mais

 

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV