A diocese de Münster na Alemanha nomeia pela primeira vez um leigo como “pároco”

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Diante do nacionalismo da Grande Rússia, vamos reinventar o internacionalismo. Artigo de Pierre Dardot e Christian Laval

    LER MAIS
  • “Receber dinheiro para evangelizar de quem gera morte é contraditório”. Entrevista com Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira

    LER MAIS
  • “Fratelli Tutti” coisa nenhuma. “Memorando” exorta que antes do conclave os cardeais releiam “Dominus Iesus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Julho 2020

A situação das vocações obriga à criatividade pastoral. Por isso a diocese de Münster, Alemanha, tornou pública a nomeação de um leigo como encarregado das atividades de uma de suas paróquias, a de São Jorge, em Saerbeck, na região de Münsterland. Segundo publica a KNA, é a primeira vez que um leigo assume com plenos poderes a direção pastoral de uma paróquia. Trata-se de um agente pastoral com experiência chamado Werner Heckmann.

A reportagem é publicada por Vida Nueva, 10-07-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Modelo experimental

Em sua tarefa contará com a ajuda e apoio do padre Hans-Michael Hürter, pároco da paróquia de Lengerich de Seliger Niels Stensen, a 10km de São Jorge. Para ele foi prevista a função de administrador paroquial. O Direito Canônico não prevê que um leigo possa desempenhar o título de pároco, nem oferece categorias alternativas a este modelo que, segundo o diretor de RH da diocese, Karl Render, é “um novo modelo de liderança que entra em fase experimental”.

O papel de Hürter, segundo explicou o bispo auxiliar Christoph Hegge, responsável da região, é a de “um companheiro espiritual da paróquia e um moderador” e não tanto como um administrador. Nas palavras de Render, “aferrar-se às velhas estruturas já não faz justiça à situação que mudou”. Por isso se apostou por um modelo que não passa por exigir mais tempo ou responsabilidade dos voluntários.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A diocese de Münster na Alemanha nomeia pela primeira vez um leigo como “pároco” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV