Morre o jesuíta Juan Carlos Scannone, um dos fundadores da Teologia do Povo e da Filosofia da Libertação

Mais Lidos

  • Como o Papa Francisco está tentando “feminilizar” a Igreja

    LER MAIS
  • “Os maus-tratos aos animais é uma expressão do mal e da nossa incapacidade de aceitar os outros”. Entrevista com Corine Pelluchon

    LER MAIS
  • Israel-Palestina. Um soldado se sacrifica e um primeiro-ministro renuncia: o genocídio em Gaza provoca ações desesperadas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Novembro 2019

O padre Juan Carlos Scannone, SJ, faleceu nesta quarta-feira, 27-11-2018, aos 88 anos, conforme comunicado dos Jesuítas da Argentina e do Uruguai

Padre Scannone | Foto: Acervo pessoal de Susana Rocca

Scannone foi professor de diversas universidades latino-americanas e europeias, incluindo a Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Foi da Faculdade de Filosofia e Teologia de San Miguel, da Universidade del Salvador. É considerado um dos maiores teólogos argentinos e foi personagem de destaque no panorama intelectual católico do Cone Sul. Discípulo de Karl Rahner, participou como protagonista da evolução do intenso debate pós-conciliar na América Latina.

Em sua última entrevista à IHU On-Line, padre Scannone avaliou o pontificado do papa Francisco à luz da Teologia do Povo e fez considerações à cerca das mudanças na igreja desde o Concílio Vaticano II. À época, explicou que a "principal característica distintiva da Teologia do Povo é sua revalorização teológica e pastoral da religião do povo, de tal modo que chegou a reconhecer uma 'mística popular'". 

Na oportunidade também falou sobre o ares de mudança que seu ex-aluno, Jorge Mario Bergoglio, trouxe ao Vaticano a partir de uma visão particular de igreja e de mundo. E acentuou a "opção preferencial pelos pobres" de Francisco: "O tema dos pobres segundo o Papa Francisco é ponto essencial de convergência entre seu magistério, o ensino social da Igreja e a Teologia do Povo. Nesses três casos não se trata de uma mera teoria, mas de sua encarnação em práticas existenciais e sociais (inclusive estruturais), que fazem realidade a 'encarnação do Evangelho' e a 'revolução da ternura' (EG 88)".

Scannone esteve várias vezes na Unisinos. Em 2001, participou ativamente do Simpósio Internacional: O ensino social da Igreja e a globalização: limites e possibilidades, quando foi criado pela Unisinos o Instituto Humanitas Unisinos – IHU.

A última vez que esteve na Unisinos foi em maio de 2018, participando do XVIII Simpósio Internacional IHU. A virada profética de Francisco. Possibilidades e limites para o futuro da Igreja no mundo contemporâneo. Na ocasião ministrou a conferência "A ética social do Papa Francisco. O Evangelho da misericórdia segundo o espírito de discernimento", disponível na íntegra no vídeo abaixo. 

Juan Carlos Scannone foi um ícone para a teologia e a filosofia latino-americana. 

Juan Carlos Scannone, faleceu na tarde de ontem, 27 de novembro, em Buenos Aires. O sepultamento será hoje, dia 28, às 16h.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Morre o jesuíta Juan Carlos Scannone, um dos fundadores da Teologia do Povo e da Filosofia da Libertação - Instituto Humanitas Unisinos - IHU