"Obrigado pela Laudato si’": Greenpeace acolhe o Papa Francisco na JMJ

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

26 Julho 2016

Ativistas do Greenpeace da Polônia, Alemanha, França e Croácia acolheram o Papa Francisco em Cracóvia, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, com mensagens de agradecimento pela recente encíclica Laudato si'.

A reportagem é do sítio Adnkronos, 25-07-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Os ativistas, em caiaques, no rio Vístula, também abriram uma enorme faixa com o retrato do papa e as seguintes palavras: "As mudanças climáticas são um problema que não pode ser deixado para as futuras gerações".

Reduzir as emissões de gases de efeito estufa não é apenas importante, mas também é urgente e não pode ser feito sem uma mudança decidida em direção às energias renováveis, especialmente na Polônia, onde a maior parte da energia é produzida a partir de fontes fósseis.

A Itália, ao contrário, ressalta o Greenpeace, é um dos poucos países do mundo nos quais a porcentagem de energia produzida a partir de fontes renováveis diminuiu em comparação com as fósseis nos primeiros meses de 2016.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Obrigado pela Laudato si’": Greenpeace acolhe o Papa Francisco na JMJ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU