Tribunal austríaco proíbe sinos das vacas depois de queixas por barulho

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Essa ideia do fim da história é uma invenção dos conservadores”. Entrevista com Thomas Piketty

    LER MAIS
  • “Estamos em uma crise civilizatória que começou antes da pandemia”. Entrevista com Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • Leitorado e acolitato para mulheres e leigos. A primeira vez no próximo domingo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


26 Julho 2012

 

Com polêmica em uma região alpina da Áustria, juiz proíbe o uso de sinos em vacas, após reclamações de moradores próximos a pasto pelo constante barulho dos animais. “Eles não conseguiam mais dormir. Estavam já sem nenhuma paciência”, argumenta o juiz Erich Kundegraber, de acordo com jornais locais.

A reportagem é do jornal The New York Times e reproduzida pelo Portal Uol, 22-07-2012.

Os sinos de vaca fazem parte da cultura alpina tanto quanto cantar em falsete e shorts com suspensórios, mas o barulho constante pode ser irritante. Um tribunal austríaco ordenou que um fazendeiro retirasse os sinos depois que moradores reclamaram que não conseguiam dormir.

A próxima coisa que vão banir vai ser o falsete. Num golpe contra a tradição alpina, um tribunal austríaco proibiu na terça-feira os sinos das vacas de um pasto depois que moradores reclamaram que não conseguiam dormir à noite por causa do barulho incessante.

O dono das vacas havia se recusado a retirar os sinos de seu rebanho, argumentando que eles eram tradicionais e que tinham um efeito geralmente calmante.

Mas o juiz Erich Kundegraber visitou o pasto perto de Stallhofen, uma pequena cidade no sopé dos Alpes, com 3 mil habitantes, e decidiu a favor dos vizinhos do fazendeiro.

“Eles não conseguiam mais dormir. Estavam já sem nenhuma paciência”, disse ele, de acordo com jornais austríacos. Kundergraber não foi encontrado pela reportagem na terça-feira.

As vacas ficavam livres para pastar à noite e o barulho ficava pior quando elas raspavam os sinos na manjedoura de metal.

A decisão confirmou uma outra de maio da qual o fazendeiro tinha apelado. O tribunal afirmou: “O gado é criado de uma forma inaceitavelmente incômoda quando os animais que usam sinos são mantidos numa área rural com poucas residências, dentro de uma área cercada, e os animais provocam um ruído alto à noite por causa dos sinos, o que acaba com a paz noturna dos vizinhos.”

O tribunal decidiu que não havia necessidade de usar sinos se as vacas viviam numa área cercada, onde podiam ser vistas facilmente e não estavam num pasto nas montanhas. Ele acrescentou que os sinos não eram uma característica tradicional das áreas residenciais rurais.

O fazendeiro terá de pagar uma multa se não cumprir com a ordem do tribunal.

Os sinos de vaca eram usados originalmente para ajudar a encontrar animais perdidos e facilitar que as vacas ficassem perto umas das outras em pastos montanhosos.

Ainda não está claro até que ponto a decisão estabelece um precedente que pode levar a uma ampla remoção dos sinos das vacas por toda a Áustria.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tribunal austríaco proíbe sinos das vacas depois de queixas por barulho - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV