Assassinada a líder ambientalista nas Filipinas

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Julho 2016

Uma ambientalista filipina que lutava contra a contaminação atmosférica de sua cidade, provocada por um depósito de carvão, foi assassinada na ilha de Bataan. Refere-o o site ambientalista Mongabay. Gloria Capitan se encontrava num bar em Mariveles quando dois homens entraram no local e dispararam contra ela três tiros de pistola, matando-a de imediato. Seu neto de oito anos ficou ferido num braço por uma bala perdida. Capitan guiava um comitê de cidadãos de Mariveles que lutam há tempo contra a contaminação provocada por um depósito de carvão a céu aberto.

A informação é publicada por L’Osservatore Romano, 09-07-2016. A tradução é de Benno Dischinger.

Segundo uma pesquisa publicada recentemente pela Ong Global Witness, as Filipinas são, com o Brasil, um dos Estados mais perigosos para os ambientalistas. De 185 ambientalistas assassinados em todo o mundo em 2015, 33 viviam nas Filipinas. “Se isto é uma mensagem para fazer calar outros ativistas anti-carbono como ela, então se enganam grosseiramente”, comentou um dirigente do Movimento filipino pela justiça climática.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Assassinada a líder ambientalista nas Filipinas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV