Setor do vidro propõe modelo de coleta

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Para ser ouvida, a Igreja precisa mudar de método. Entrevista com Jean-Claude Hollerich, relator do próximo Sínodo

    LER MAIS
  • A Europa e a guerra da Ucrânia. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • “O virtual não pode ser tudo, porque se for tudo, a vida não faz sentido”. Entrevista com Cédric Durand

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Janeiro 2011

O primeiro setor a propor um modelo para o funcionamento do sistema de logística reversa para embalagens é o do vidro. A Abividro, entidade que reúne os fabricantes do material, apresentou ao Ministério do Meio Ambiente um modelo inspirado nas práticas de reciclagem adotadas nos países europeus.

A reportagem é de Andrea Vialli e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 17-01-2011.

A proposta sugere a implementação, em território nacional, de uma gerenciadora que ficará responsável pela logística reversa de todos os tipos de embalagens. Além do vidro, a gerenciadora centralizaria a coleta de outros materiais, como garrafas PET, embalagens de papel e de metal.

"A gerenciadora dos resíduos será uma instituição sem fins lucrativos que vai intermediar as relações com as prefeituras, empresas de coleta de lixo e cooperativas de catadores. Além disso, terá a incumbência de negociar as operações de compra e venda dos materiais recicláveis que passarão por triagem nas cooperativas", diz Lucien Belmonte, superintendente da Abividro.

O modelo foi desenvolvido com base na experiência bem sucedida de países europeus. Na Espanha, o modelo de gerenciadoras permitiu que a reciclagem de materiais crescesse de 5% em 1997 para 62% em 2008. Na Itália, passou de 30% para 67% no mesmo período e, na Alemanha, de 37% em 1991 para 67% em 2007. "O sistema funciona em 31 países e pode ser uma inspiração para o Brasil, mesmo com nossas dimensões continentais", diz Belmonte.

O setor de vidro pretende investir R$ 10 milhões na criação da gerenciadora. A expectativa é que em quatro anos o sistema funcione de maneira integrada. Segundo Belmonte, para a indústria vidreira, a reciclagem é importante do ponto de vista econômico e ambiental.

"A reciclagem do vidro permite um aproveitamento de 100% do material. Uma tonelada de cacos se transforma em uma tonelada de vidro novamente, sem perdas no processo", diz . Além disso, a reciclagem é uma alavanca também para a redução das emissões de CO2", diz.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Setor do vidro propõe modelo de coleta - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV