Para empresários, economia verde não pode diminuir o consumo

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Encantar a política: Uma proposta de cristãs e cristãos católicos para o povo brasileiro. Artigo de Toninho Kalunga

    LER MAIS
  • Ucrânia, Terceira Guerra Mundial e o guia do Papa Francisco para a Igreja. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS
  • Cristo e a paz. Artigo de Dietrich Bonhoeffer

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Junho 2012

Maior evento do setor empresarial na programação da Rio+20, o Fórum de Sustentabilidade Corporativa dará voz ao empresariado durante a conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. A mensagem é clara, na perspectiva do empresariado "a questão não é reduzir o consumo, mas transformar os modelos de produção e consumo", define o porta-voz da iniciativa, Tim Wall.

A reportagem é do jornal Valor e publicada no dia 15-06-2012.

As adesões à iniciativa são significativas. Hoje, a abertura do evento terá a presença da presidente da Petrobras, Graça Foster. Até o dia 18, o evento reunirá mais de mil líderes empresariais no debate centrado em produção sustentável. Além da Petrobras, estarão presentes Eletrobras, Vale e Sinopec entre outras empresas.

Para os organizadores, a preocupação com o desenvolvimento sustentável é uma realidade. "Não ter preocupação com o desenvolvimento sustentável não é só ruim para a reputação, é ruim para os negócios", diz Wall. Nesse contexto, a transição para a economia verde é uma necessidade.

O compromisso do setor com economia verde será apresentado nos próximos quatro dias em casos de eficiência energética e manejo de recursos.

Mas a definição sobre como desenvolver negócios sustentáveis sem redução na produção não está fechada. "Deixar de consumir não é a solução", afirma Wall. "Temos que trabalhar a maneira como se produz e se consome", reafirma.

Seja qual for o caminho a ser traçado, dinheiro não parece ser o problema. Para os organizadores, com mais de US$ 200 trilhões em ativos financeiros no mundo, "não há falta de capital".

Para a transição para a economia verde os empresários demandam o envolvimento dos governos. "A empresa que usa práticas sustentáveis também corre o risco de perder competitividade", diz Yolanda Cerqueira Leite, secretária-executiva do Pacto Global, que coordena o fórum.

Duas sessões de debates serão destinadas à atuação dos governos na promoção da transição para a economia verde. Como representante do governo brasileiro estará o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Um dos objetivos é a elaboração de um documento final a ser enviado à reunião de chefes de Estado na Rio+20. "Vai ser um sumário do evento, com recomendações aos chefes de Estado", diz Yolanda.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Para empresários, economia verde não pode diminuir o consumo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV