O cardeal O'Malley e a ordenação de mulheres

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • “Da crise não se sai sozinho. Se sai arriscando e dando a mão ao outro”. Entrevista com o Papa Francisco

    LER MAIS
  • "A sinodalidade é um processo dinâmico que nunca termina". Entrevista com Dom Luis Marín de San Martín

    LER MAIS
  • "Derrotar Bolsonaro nas urnas não acabará com bolsonarismo", afirma Marcos Nobre

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Novembro 2014

Ordenar mulheres? A ideia parece não desagradar o arcebispo de Boston. Em uma entrevista concedida no domingo, 16 de novembro, à rede de televisão norte-americana CBS, Dom Séan O'Malley declarou que, se fundasse uma Igreja, ele gostaria que houvesse mulheres padres.

A reportagem é de Anna Latron, publicada no sítio da revista La Vie, 19-11-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O cardeal Séan O'Malley esperou um ano antes de aceitar conceder uma entrevista à rede de televisão norte-americana CBS, como escreveu o site Crux. Nessa longa entrevista, gravada entre Roma e Boston, fala-se de pedofilia – o cardeal O'Malley preside a comissão vaticana encarregada da proteção dos menores na Igreja –, mas também de poder e de governo.

Um tema que a jornalista Norah O'Donnell enfrenta com a tradicional pergunta sobre a ordenação de mulheres. "Nem todo mundo precisa ser ordenado para ter um papel importante na vida da Igreja", diz o cardeal. "As mulheres dirigem instituições de caridade católicas, escolas católicas (...) Elas têm outros papéis importantes. Um padre não pode ser mãe. A tradição da Igreja é a de que sempre ordenamos homens".

A jornalista, então, exclama: "As mulheres realmente não têm poder na Igreja!". "Bem, 'poder' não é uma palavra que nós gostamos de usar na Igreja. Trata-se mais de serviço", diz O'Malley. A jornalista lhe objeta que uma mulher "não pode pregar nem administrar os sacramentos" e coloca o problema da imoralidade dessa tradição. "Cristo nunca nos pediria para fazer algo imoral", respondeu o cardeal.

A jornalista fala de igualdade: "Vocês não excluiriam alguém com base na raça. Mas vocês excluem pessoas, sim, com base no gênero". É então que o arcebispo lhe confidencia: "Se eu fosse fundar uma Igreja, eu gostaria que houvesse mulheres padres. Mas foi Cristo que a fundou, e o que Ele nos deu é algo diferente".

O cardeal O'Malley considera necessário dar às mulheres mais posições de responsabilidade na Igreja e acredita que há uma esperança fundamentada de que as coisas vão evoluir nesse sentido.

Nessa entrevista, o cardeal O'Malley também voltou a falar da tentativa de reforma da Leadership Conference of Women Religious (LCWR, que reúne as superioras de 80% das congregações religiosas femininas dos EUA). E definiu como um "desastre" a investigação realizada pelo Vaticano a esse respeito.

A Congregação para a Doutrina da Fé havia chamado à ordem a LCWR em maio passado, para que revisse as suas posições sobre os ensinamentos da doutrina católica, em especial sobre aborto, eutanásia, ordenação de mulheres e homossexualidade.

Seja sobre a questão da LCWR, seja sobre o da ordenação de mulheres, o cardeal recebeu as felicitações do jornal National Catholic Reporter pela sua "franqueza".

Em um artigo da segunda-feira, 17 de novembro, o jornalista do NCR insiste sobre essa qualidade do cardeal: "Infelizmente, chegamos ao ponto de esperar tão pouco da nossa hierarquia!".

Nota da IHU On-Line: A íntegra da entrevista do cardeal capuchinho de Boston, em inglês, pode ser vista aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O cardeal O'Malley e a ordenação de mulheres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV