''A oração é luta''. Artigo de Christian Albini

Revista ihu on-line

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mais Lidos

  • Sturm und drang: quando um vigário geral abandona a Igreja

    LER MAIS
  • O trigo bloqueado ameaça o mundo

    LER MAIS
  • Novo livro alerta sobre a implosão da Igreja na França

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Abril 2014

"A oração muda o nosso coração. Faz-nos entender melhor como é o nosso Deus." Aqui, somos conduzidos ao coração da experiência da oração, que é luta, relação, trabalho do coração na escuta da Palavra de Deus.

A reflexão é do teólogo leigo italiano Christian Albini, coordenador do Centro de Espiritualidade da diocese de Crema, na Itália, e sócio-fundador da Associação Viandanti. O artigo foi publicado no blog Sperare per Tutti, 03-04-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Rezar não é dizer orações, não é recitar fórmulas. A homilia do Papa Francisco dessa quinta-feira, 3 de abril [veja o vídeo abaixo], é extraordinária, porque é um pequeno tratado espiritual sobre a oração à luz da Palavra de Deus.

O diálogo de Moisés com Deus no Monte Sinai esteve no centro da homilia do papa. Deus quer punir o seu povo porque se fez um ídolo, o bezerro de ouro. Moisés reza com força ao Senhor para que repense: "Essa oração – explica o Papa Francisco – é uma verdadeira luta com Deus. Uma luta do líder do povo para salvar o seu povo, que é o povo de Deus. E Moisés fala livremente diante do Senhor e nos ensina como rezar, sem medo, livremente, até mesmo com insistência. Moisés insiste. É corajoso. A oração deve ser" também um "negociar com Deus", trazendo "argumentações".

No fim, Moisés convence Deus, e a leitura diz que "o Senhor se arrependeu do mal que tinha ameaçado fazer ao seu povo". "Mas – pergunta-se o papa – o que mudou aqui? O Senhor mudou? Acho que não."

"O que mudou foi Moisés, porque Moisés acreditava que o Senhor faria isto: acreditava que o Senhor destruiria o povo, e ele busca, na sua memória, como o Senhor tinha sido bom com o seu povo, como o tinha tirado da escravidão no Egito e levado adiante com uma promessa. E, com essas argumentações, busca convencer a Deus, mas, nesse processo, ele reencontra a memória do seu povo e encontra a misericórdia de Deus. Esse Moisés, que tinha medo, medo de que Deus fizesse tal coisa, no fim, desce do monte com uma coisa grande no coração: o nosso Deus é misericordioso. Sabe perdoar. Volta atrás nas suas decisões. É um Pai."

Tudo isso – observa o Papa FranciscoMoisés sabia, "mas o sabia mais ou menos obscuramente e, na oração, o reencontra. É isso que a oração faz em nós: muda-nos o coração".

"A oração muda o nosso coração. Faz-nos entender melhor como é o nosso Deus."

Aqui, somos conduzidos ao coração da experiência da oração, que é luta, relação, trabalho do coração na escuta da Palavra de Deus.

* * *

Assista abaixo à homilia do Papa Francisco na missa na Casa Santa Marta nesta quinta-feira, 3 de abril:

{youtube}lCU7ZG_sEZ8{/youtube}

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''A oração é luta''. Artigo de Christian Albini - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV