“O Papa é muito de esquerda”, afirma cardeal Rodé

Mais Lidos

  • Atividade, no formato live, será na terça, 05-03, a partir das 10h

    Influenciadores digitais católicos em debate no IHU

    LER MAIS
  • A identidade de católico, o Papa e o cristianismo de libertação versus a direita. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Francisco: pedi para realizar estudos sobre a ideologia de gênero, o perigo mais feio hoje

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Por: André | 06 Outubro 2014

O cardeal Franc Rodé (foto), que acaba de completar 80 anos e foi prefeito da Congregação para os Religiosos, concedeu uma entrevista à agência de imprensa nacional da Eslovênia na qual criticou o Papa Francisco. Não têm nada a ver nem com o Sínodo sobre a Família nem com as questões doutrinais. Ou melhor, colocou em discussão outra doutrina, a social, que parece cada vez mais esquecida no mundo católico, como demonstraram algumas páginas da Evangelii Gaudium. De acordo com o cardeal esloveno, o Papa é “muito de esquerda”.

 
Fonte: http://bit.ly/1pAmyBG  

A reportagem é de Andrea Tornielli e publicada no sítio Vatican Insider, 04-10-2014. A tradução é de André Langer.

“Sem dúvida nenhuma – disse Rodé –, o Papa é um gênio da comunicação. Comunica-se muito bem com a multidão, com a mídia, com os fiéis”. “Uma grande vantagem – acrescentou – é que sempre se mostra simpático. Por outro lado, suas opiniões em relação ao capitalismo e à justiça social são excessivamente de esquerda. Vê-se que o Papa está marcado pelo ambiente do qual provém. Na América do sul há grandes diferenças sociais e grandes debates sobre esta questão cada dia. Mas este pessoal fala muito e resolve poucos problemas.”

O artigo do jornal Piccolo, de Trieste, que reproduziu a informação da agência eslovena, recordou que o cardeal (que viveu muitos anos na Argentina durante o regime de Tito), quando foi arcebispo de Lubliana, dirigiu “a Igreja eslovena claramente na direção de um modelo capitalista”. E, como se sabe, uma diocese de seu país, a de Maribor, sofreu uma bancarrota financeira devido a investimentos muito arriscados.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“O Papa é muito de esquerda”, afirma cardeal Rodé - Instituto Humanitas Unisinos - IHU