Tempo da Criação – Sugestão de Oração para a 4ª semana – Escutemos a voz das mulheres, das crianças e dos jovens

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Lula manda carta a Francisco e mostra seu temor pelo “risco” do segundo turno nas eleições

    LER MAIS
  • A curta vida do Homo sapiens

    LER MAIS
  • A paciência do papa idoso é posta à prova

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


23 Setembro 2022

 

No Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação iniciou-se Tempo da Criação 2022, que se estenderá até o dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis,  padroeiro da ecologia. O Tempo da Criação é um período ecumênico, no qual os cristãos ao redor do mundo se unem em torno a um mesmo propósito: através da oração e ações concretas responder conjuntamente ao grito da Criação proteger nossa casa comum.

 

Em sintonia com esta proposta e no compromisso de contribuir no enfrentamento da emergência climática na qual o mundo de hoje está imerso, o Instituto Humanitas Unisinos se propõe oferecer semanalmente algumas sugestões para a oração pela Criação, tendo como fio condutor o tema-convite "Escute a voz da Criação!"

 

Oração pela Criação - 4ª semana do Tempo da Criação



Em sua mensagem para o Tempo da Criação neste ano de 2022, o Papa Francisco escreve que “se se aprende a escutá-la, notamos uma espécie de dissonância na voz da criação. Por um lado, é um canto doce que louva o nosso amado Criador; por outro, é um grito amargo que se lamenta dos nossos maus-tratos humanos. Ao rezar pela criação ao longo desse Tempo da Criação deixemo-nos sensibilizar e desafiar por essa “dissonância na voz da Criação” que cada vez mais se acentua em meio à emergência climática, cujos sinais se agravam ao redor do mundo.

 

Unamo-nos ao salmistaem sua oração de louvor pela Criação, “espelho do amor criador de Deus, de Quem provimos e para Quem estamos a caminho”.

 

Salmo 104

Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras!

Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.
Todos esperam de ti que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno.
Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e enchem-se de bens.

Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra.
A glória do Senhor seja para sempre! Alegre-se o Senhor em suas obras!

Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto existir.
A minha meditação a seu respeito será suave; eu me alegrarei no Senhor.
Desapareçam da terra os pecadores, e os ímpios não sejam mais.

Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.

 

A canção doce da Criação é acompanhada de um “coro de gritos amargos”, os quais o Papa Francisco recorda: grita a Mãe Terra, gritam as diversas criaturas, gritam os mais pobres, gritam os povos indígenas, gritam os adolescentes.

 

Acolhendo todos estes gritos, convidamos nesta quarta semana de Oração pela Criação rezar em comunhão e solidariedade com os mulheres, as quais sofrem desproporcionalmente os impactos das mutações climáticas devido às desigualdades de gênero e econômicas.  Rezemos em comunhão e solidariedade com crianças e adolescentes que tem seu futuro ameaçado pela depredação ambiental. Rezemos  em comunhão e solidariedade com os jovens, para muitos dos quais a consciência da crise climática resulta em medo e desesperança.

 

Convidamos a acolher sua voz e seus clamores através da leitura de notícias atualizadas sobre sua realidade e suas lutas na defesa de seus territórios, de sua cultura e do meio ambiente. Que suas vozes ecoem através de nossa oração como apelo ao cuidado de nossa Casa Comum. De um modo especial convidamos a incluir em nossa oração as pessoas traficadas, vítimas da lógica perversa que leva a coisificar e explorar os outros, especialmente os mais frágeis, e a depredar irresponsavelmente o meio ambiente.


 

 

 

Como a emergência climática afeta as mulheres

No âmbito do clima, a situação da desigualdade de gênero é reproduzida e fortalecida pela emergência climática, mas isso tem sido tratado como uma questão secundária. Cada vez mais, no entanto, tem se falado sobre a importância de tratá-las em conjunto, inclusive em um recente relatório da Cepal. (continue lendo)

 

Quando os homens decidem sobre a crise climática sem contar com as mulheres

As mulheres sofrem de forma mais acentuada o impacto da mudança climática. Isso foi reconhecido em várias ocasiões, e em seus diferentes setores, pela Organização das Nações Unidas. Seus efeitos na sociedade estão profundamente ligados às condições sociais, como os papéis de gênero.(continue lendo)

 

África. Milhões de crianças estão à beira da catástrofe

A grave desnutrição e o risco de contrair doenças transmitidas pela água insalubre sofridos pelas crianças no Chifre da África e no Sahel podem levar a uma mortalidade devastadora se não for fornecida ajuda urgente, aponta o relatório.(continue lendo)

 

Diante do aquecimento global, passar da eco-ansiedade à eco-indignação

Em 2021, um artigo publicado na Lancet revelou que de 10.000 jovens de 16 a 25 anos entrevistados em dez países, metade declarou que a mudança climática os deixou tristes, ansiosos, indignados, impotentes e culpados. (continue lendo)

 

Eliane Brum, também escritora e documentarista, propõe em Banzeiro Òkòtó uma série de inovações ao mesmo tempo linguísticas e conceituais, que ela vai introduzindo aos poucos no texto e passa a adotar a partir de cada explicação. Uma delas é a adoção do gênero neutro em lugar da separação estanque entre feminino e masculino, cujos inconvenientes a jornalista previne logo na primeira página do texto: “Imagino que a maioria vai estranhar e até ficar incomodada no início da leitura, como aconteceu também comigo. Estranhar é preciso” (continue lendo) 

 

Oração cristã com a criação

(Encíclica Laudato Si')

Nós Vos louvamos, Pai,
com todas as vossas criaturas,
que saíram da vossa mão poderosa.
São vossas e estão repletas da vossa presença
e da vossa ternura.
Louvado sejais!

Filho de Deus, Jesus,
por Vós foram criadas todas as coisas.
Fostes formado no seio materno de Maria,
fizestes-Vos parte desta terra,
e contemplastes este mundo
com olhos humanos.
Hoje estais vivo em cada criatura
com a vossa glória de ressuscitado.
Louvado sejais!

Espírito Santo, que, com a vossa luz,
guiais este mundo para o amor do Pai
e acompanhais o gemido da criação,
Vós viveis também nos nossos corações
a fim de nos impelir para o bem.
Louvado sejais!

Senhor Deus, Uno e Trino,
comunidade estupenda de amor infinito,
ensinai-nos a contemplar-Vos
na beleza do universo,
onde tudo nos fala de Vós.
Despertai o nosso louvor e a nossa gratidão
por cada ser que criastes.
Dai-nos a graça de nos sentirmos
intimamente unidos
a tudo o que existe.

Deus de amor,
mostrai-nos o nosso lugar neste mundo
como instrumentos do vosso carinho
por todos os seres desta terra,
porque nem um deles sequer
é esquecido por Vós.
Iluminai os donos do poder e do dinheiro
para que não caiam no pecado da indiferença,
amem o bem comum, promovam os fracos,
e cuidem deste mundo que habitamos.

Os pobres e a terra clamam:
Senhor, tomai-nos
sob o vosso poder e a vossa luz,
para proteger cada vida,
para preparar um futuro melhor,
para que venha o vosso Reino
de justiça, paz, amor e beleza.

Louvado sejais!


[1] Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tempo da Criação – Sugestão de Oração para a 4ª semana – Escutemos a voz das mulheres, das crianças e dos jovens - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV