23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Arautos do Evangelho não reconhecem o Comissário do Vaticano, dom Raymundo Damasceno Assis

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A virada autoritária de Piñera. O fracasso de um governo incompetente e corrupto

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

22 Setembro 2019

Há um ano, inspirados pela estudante sueca Greta Thunberg, jovens de todo o mundo começaram a entrar em “greve pelo clima” – saindo da escola por algumas horas para exigir ações contra o aquecimento global que obscurece o futuro deles.

O comentário é de Bill McKibben, escritor, ambientalista e cofundador do grupo climático de base 350.org, em artigo publicado por National Catholic Reporter, 19-09-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Em maio, quando 1,4 milhão de crianças de todo o mundo saíram das escolas, eles pediram que os adultos se unissem a eles na próxima vez. A próxima vez será o dia 20 de setembro (em alguns países, 27 de setembro), e tudo indica que será o maior dia de ação climática da história do planeta: todos, desde grandes sindicatos a mais de 1.000 trabalhadores da sede da Amazon, e desde universitários a idosos, estão reservando o dia para se reunir em suas cidades e municípios para agilizar uma ação por parte dos nossos governos e indústrias.

Mas só será um sucesso na escala de que precisamos se muitas pessoas que não são os suspeitos de sempre se unirem também. Muitas pessoas, é claro, não podem ficar sem um dia de salário ou sem trabalhar para chefes que as demitiriam se elas faltassem ao trabalho. Por isso, é realmente importante que aqueles de nós que têm a liberdade de se reunir que o façam. Desde que eu publiquei o primeiro livro para uma audiência geral sobre mudanças climáticas há 30 anos, eu tive muito tempo para pensar sobre as várias maneiras de levar as pessoas à ação. Deixe-me oferecer algumas:

- Entre em greve porque as pessoas que menos fizeram para causar essa crise sofrem primeiro e mais – as pessoas que estão perdendo suas fazendas para o deserto e observam suas ilhas afundando debaixo das ondas não são aquelas que queimaram carvão, gás e petróleo.

- Entre em greve porque os recifes de coral são maravilhosamente bonitos e complexos – e muito vulneráveis.

- Entre em greve porque o sol e o vento são agora a maneira mais barata de gerar energia em todo o mundo – se pudéssemos igualar o poder político da indústria dos combustíveis fósseis, poderíamos progredir rapidamente.

- Entre em greve porque já perdemos a metade dos animais do planeta desde 1970 – a Terra é um lugar mais solitário.

- Entre em greve porque os nossos governos agem com uma lentidão muito dolorosa, tratando as mudanças climáticas, na pior das hipóteses, como um problema a mais dentro de uma longa lista.

- Entre em greve porque esta pode ser a grande oportunidade – e talvez a última – de transformar a nossa sociedade na direção da justiça e da alegria. New Deals verdes têm sido propostos em todo o mundo; eles são um caminho a seguir.

- Entre em greve porque as florestas agora parecem fogueiras prontas à espera de pegar fogo.

- Entre em greve porque os jovens nos pediram isso. Em uma sociedade bem-ordenada, quando as crianças fazem um pedido razoável, os mais velhos devem dizer “sim” – neste caso, com verdadeiro orgulho e esperança de que as próximas gerações defendam o que importa.

- Entre em greve porque cada geração enfrenta uma grande crise, e esta é a nossa.

- Entre em greve porque a metade das crianças em Nova Déli sofre danos irreversíveis no pulmão simplesmente por respirarem o ar.

- Entre em greve porque a Exxon e o resto sabiam tudo sobre o aquecimento global nos anos 1980 e depois mentiram para que pudessem continuar lucrando.

- Entre em greve porque o que fizermos nesta década será importante para centenas de milhares de pessoas por ano.

- Entre em greve porque a temperatura atingiu 54ºC nas grandes cidades nos últimos verões. O corpo humano pode sobreviver a isso, mas apenas por poucas horas.

- Entre em greve, porque não queremos ser as primeiras gerações a deixar o planeta em pior estado, não é?

- Entre em greve porque as baterias são cada vez mais baratas – agora podemos armazenar luz do sol à noite e vento em um dia calmo.

- Entre em greve porque as Nações Unidas estimam que mudanças climáticas descontroladas poderiam criar um bilhão de refugiados neste século.

- Entre em greve porque os grandes bancos continuam emprestando centenas de bilhões de dólares para a indústria dos combustíveis fósseis – as pessoas estão literalmente tentando enriquecer com a destruição do planeta.

- Entre em greve, porque qual animal suja o seu próprio ninho?

- Entre em greve porque os povos indígenas de todo o mundo estão tentando proteger suas terras legítimas das empresas de carvão e petróleo – e, nesse processo, protegem a todos nós.

- Entre em greve porque toda vez que eles cortam um pedaço de floresta tropical para criar mais vacas, a matemática do clima fica mais difícil.

- Entre em greve porque a ciência é real, porque a física existe, porque a química é importante.

- Entre em greve para que você possa olhar o seu neto – ou qualquer outra pessoa – nos olhos.

- Entre em greve porque o mundo que nos foi dado ainda é muito bom.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV