Vinhos, charutos e rosários: a direita católica americana em "retiro". Artigo de Massimo Faggioli

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • Príncipe Charles e Bolsonaro: as duas faces da “diplomacia” dos santos

    LER MAIS
  • “Não dá para ser uma Igreja de decisões tomadas apenas por homens”. Entrevista com o Cardeal Hollerich, jesuíta

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

08 Agosto 2019

Em julho de 2019 reuniu-se pela nona vez na Califórnia, em Napa Valley, que produz os melhores vinhos da América do Norte, o grupo mais influente de católicos conservadores e tradicionalistas: o Napa Institute. Para este particular "retiro espiritual" em um dos centros de férias mais exclusivos, o ingresso era de US $ 2.600 cada (com desconto para bispos, padres e religiosos), viagem e hotel excluídos.

O comentário é do historiador italiano Massimo Faggioli, professor da Villanova University, nos Estados Unidos, em artigo publicado por Jesus, agosto-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

O programa incluía palestras de prelados e intelectuais de claro viés tradicionalista, intercaladas com jantares de gala, degustações de vinhos e charutos, a celebração da missa pré-conciliar em latim e também a oração do "rosário patriótico". Entre os convidados de honra havia também prelados que desafiaram abertamente o Papa Francisco, como o cardeal Burke e os bispos Chaput, Paprocki e Strickland.

Anunciados com toda a pompa, palestraram no retiro também políticos do Partido Republicano, que se distinguiram pelo desprezo pela doutrina social da Igreja, como o ex-governador de Wisconsin, Scott Walker, e o senador Lindsey Graham. Nenhum dos dois é católico: o que importa é a filiação política e o fato de estarem entre os principais artífices da presidência Trump.

A intenção do Napa Institute, fundado em 2010 por Tim Busch, um empresário católico conservador que recentemente financiou e orientou de forma tradicionalista várias atividades educacionais da Igreja Católica nos EUA, é refundar o catolicismo com uma forte identidade política: explicitamente próxima a Donald Trump e hostil ao Papa Francisco.

A presidência Trump revelou a existência de "cristãos" evangélicos “de corte” na Casa Branca. Parece que alguns católicos não querem ficar de fora nesta singular competição.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vinhos, charutos e rosários: a direita católica americana em "retiro". Artigo de Massimo Faggioli - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV