Trabalho (90)

No mês de novembro de 2016 constatou-se que a redução de postos de emprego, em comparação com o mesmo período do ano passado, foi inferior no Vale do Sinos. Redução de postos de emprego neste mês foi mais intensa em postos ocupados por homens.O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, monitora mensalmente a variação dos postos de emprego e desemprego em cada município e na região do Vale do…
Produto Interno Bruto do Vale do Sinos apresentou crescimento nominal de 5,92% de 2013 a 2014, com redução de 10,91% em Canoas. Economia da região representa 11,73% da do estado e é fortemente afetada pelo setor de serviços, que detém 72,35% do valor adicionado frente a 27,34% da indústria e 0,31% da agropecuária. PIB per capita da região mantém-se menor que o do estado. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos…
No Vale do Sinos, postos de emprego aumentaram em outubro, com destaque à construção civil. Setor tem sido a aposta para retomar o crescimento do país, mas é a atividade econômica que mais mata trabalhadores no Brasil, conforme pesquisas. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, acessa, mensalmente, os dados da movimentação no mercado formal de trabalho nos territórios do Vale do Sinos a partir do Cadastro Geral de…
Índice de Gini da renda dos trabalhadores do mercado formal de trabalho, em 2015, aponta maior desigualdade de renda em municípios mais populosos da região, como Canoas, São Leopoldo e Campo Bom. Já municípios menos populosos, como Araricá e Nova Hartz, possuem os menores índices de desigualdade. Renda média mensal é de R$ 2.248,37. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, acessou os dados da Relação Anual de Informações…
O número de estabelecimentos formais de trabalho cresceu 1,60% no Vale do Sinos de 2012 a 2015, com destaque para a construção civil, que obteve aumento de 30,11%. No entanto, vínculos formais foram reduzidos em 4,26%, sendo uma das ocupações com maior redução a de operadores de telemarketing, -59,12%. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, acessou os dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS do Ministério…
Impulsionados pelos setores de serviços e do comércio, 1.043 postos de emprego formais são criados no Vale do Sinos em setembro. O resultado mantém o ano de 2016 com acumulado negativo de postos de emprego, mas a redução no ano é de apenas 28 postos nos 3 primeiros trimestres do ano. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, acessou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados –…
A redução de postos de emprego formais na região do Vale do Sinos manteve-se em agosto de 2016, mas a intensidade da redução tem caído nos últimos meses. No acumulado de 2016, a redução na região chega a 1.071 postos, enquanto nos últimos 12 meses a redução é de 11.930 postos, aproximadamente 11 vezes maior. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, acessou os dados do Cadastro Geral de…
1.915 postos de emprego formais reduzidos em julho de 2016. Esta redução resulta em um acumulado negativo no ano: 934 postos em 2016. Nos últimos 12 meses, já se somam 13.963 postos a menos. Em julho, o subsetor da construção civil apresentou a maior redução dentre os 25 subsetores: 744 postos. Construção civil lidera redução de postos de emprego formais em julho   O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos –…
A participação dos setores da indústria de transformação e da construção civil cresceu nos últimos meses com o aumento de postos de emprego nesses setores. Em junho de 2016, os dois setores apresentaram juntos aumento de 416 postos de emprego formais no Vale do Sinos frente à redução de 355 postos nos outros 6 setores. Nesses dois setores, ocorre a maior parte dos acidentes de trabalho da região. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa…
1.497 postos de emprego formais a menos em maio de 2016. Recuo ocorreu em 13 dos 14 municípios da região. Desta forma, o acumulado nos últimos 12 meses já chega a 16.006 postos a menos, ou seja, é como se retirassem os vínculos de Araricá por 10 vezes da região do Vale do Sinos, visto que o município possuía, em 2016, 1.619 postos. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos –…