Honduras. Assassinada outra líder ambiental. Era companheira de Berta Cáceres

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 08 Julho 2016

Quatro meses e cinco dias após o assassinato da líder Berta Cáceres, é assassinada sua companheira Lesbia Yaneth Urquía, que, aos 49 anos, se destacava na defesa dos direitos ambientais e das comunidades indígenas hondurenhas. A ativista foi encontrada por seus familiares na tarde da última quarta-feira no município de Marcala, após estar várias horas desaparecida.

 
Fonte: http://bit.ly/29m9G5l  

A reportagem é publicada por Contagio Radio, 07-07-2016. A tradução é de André Langer.

O assassinato ocorre no contexto das reuniões realizadas no município para a aprovação do projeto de lei que regulamenta a Consulta Prévia, Livre e Informada à qual têm direito os povos originários, amparados no convênio 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De acordo com as primeiras informações, a líder apresentou um quadro de trauma cranioencefálico, produzido por objeto cortante. Também há versões que indicam que Lesbia morreu com vários tiros. No entanto, o cadáver já está no Instituto Médico Legal para a autópsia, que deverá esclarecer as causas da sua morte.

Lesbia integrava o Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH) desde 2009, quando as comunidades protestavam contra o golpe de Estado. Ela também esteve muito ativa nas mobilizações de protesto contra a construção da hidrelétrica Aurora I, no município de San José.

De acordo com o COPINH, este assassinato é “um feminicídio político que tem a intenção de calar as vozes das mulheres que, com coragem e valentia, defendem seus direitos contra o sistema patriarcal, racista e capitalista, que cada vez mais se aproxima da destruição de nosso planeta”.

 
Fonte: http://bit.ly/29m9gfm  

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Honduras. Assassinada outra líder ambiental. Era companheira de Berta Cáceres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV