Quem são os refugiados acolhidos pelo Papa?

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • “O problema da esquerda é que está fechada em sua sociologia e nas grandes cidades”. Entrevista com Christophe Guilluy

    LER MAIS
  • A radical visão teológica do Papa Francisco

    LER MAIS
  • O surgimento dos ''cismáticos devotos'' na Igreja Católica. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 19 Abril 2016

Um casal de engenheiros com uma criança de dois anos, um professor e uma costureira com seus três filhos, dois deles adolescentes, e um casal jovem com duas crianças de 7 e 8 anos. Estas são as famílias que viajaram no avião do Papa Francisco de Lesbos para Roma e que serão acolhidas no Vaticano.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 17-04-2016. A tradução é de André Langer.

A primeira família morava na zona periférica de Al Zapatani, exposta a massivos bombardeios, enquanto que a segunda tinha seu lar em Deir Azzor, uma zona que ficou sob a ocupação dos terroristas do Estado Islâmico. Sua casa foi bombardeada, assim como a da terceira família, um casal jovem com duas crianças que antes da fuga vivia em Zamalka, uma aldeia da capital síria. “Desde então – explica a mãe – o pequeno Omar está aterrorizado, acorda todas as noites e durante um tempo inclusive deixou de falar”.

As três famílias se encontravam no campo de refugiados de Kara Tepe, segundo informa o jornal oficial do Vaticano, L’Osservatore Romano, desde antes da assinatura do acordo entre a União Europeia e a Turquia, pelo qual todas as pessoas que tenham chegado depois de 20 de março serão devolvidas à Turquia, onde será resolvida sua solicitação de asilo.

Com este gesto, o Papa quis “dar um sinal de acolhida aos refugiados”, segundo apontou o porta-voz da Santa Sé, o Pe. Federico Lombardi. A ação foi possível graças aos contatos da Secretaria de Estado com as autoridades competentes, gregas e italianas.

A acolhida e a sustentação das três famílias ficarão a cargo do Vaticano, embora a ajuda inicial seja concedida por voluntários da Comunidade Santo Egídio.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Quem são os refugiados acolhidos pelo Papa? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV