Francisco repreendeu os bispos porque são um ‘desastre’

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Seu bispo necessita dos seus conselhos: o que dirá a ele?

    LER MAIS
  • Só um radical ecossocialismo democrático pode mudar o horizonte

    LER MAIS
  • Dinâmica religiosa nos Estados Unidos. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 16 Fevereiro 2016

Os bispos mexicanos são um “desastre” e em muitos casos não dão um exemplo de vida de “autênticos cristãos”, pois estão acostumados a viver com luxo e intrigas internas, consideraram estudiosos das religiões.

A reportagem é de Francisco Nieto e publicada por La Silla Rota, 13-02-2016. A tradução é de André Langer.

Em entrevista ao sítio La Silla Rota, o acadêmico da Escola Nacional de Antropologia e História (ENAH), Elio Masferrer, e o especialista em religiões, Fred Álvarez, explicaram que embora se esperasse um “puxão de orelhas” nos bispos, o Papa Francisco fez, na Catedral, um discurso histórico, duro, “rude” e direto que deveria ter repercussões no clero mexicano.

Ambos concordaram em que o Papa Francisco conhece profundamente a situação que prevalece na Conferência do Episcopado Mexicano (CEM) e na Arquidiocese da Cidade do México, razão pela qual exigiu que privilegiassem a unidade e a comunhão, “colocando-se a trabalhar e evitando intrigas internas”.

Por exemplo: Elio Masferrer expôs que uma das razões desta chamada de atenção por parte do Sumo Pontífice ao clero mexicano, tem a ver com o acobertamento de padres pederastas por parte de muitos bispos mexicanos.

“Há indignação no meio da população, no próprio Vaticano, sobre a atuação dos bispos mexicanos em relação às vítimas da pederastia, e o Papa Francisco sabe muito bem quem são seus bispos”, reiterou.

O catedrático da ENAH considerou indispensável analisar detalhadamente todas as metáforas bíblicas pronunciadas pelo Bispo de Roma na Catedral Metropolitana, pois são significativas e diretas, que permitem entender as razões desta repreensão.

Para Elio Masferrer, há neste discurso alusões diretas que vinculam os bispos com o narcotráfico, com o dispêndio e o luxo, e contra a deficiência no trabalho pastoral de quem têm a responsabilidade de fortalecer a crença em Deus, através do exemplo em vida.

“O Papa Francisco disse aos seus bispos que tem que se reconverter ao cristianismo e para isso usa metáforas que são autênticos insultos em termos teológicos, como dizer-lhes que não sigam, nem se convertam em faraós... esta expressão é muito forte, pois é como dizer-lhes que são da pior espécie”, considerou Masferrer.

Ele explicou que o Papa Francisco sempre criticou e não vê com bons olhos o fato de que muitos religiosos, como o próprio cardeal Norberto Rivera, usem carros blindados, andem escoltados e que prefiram as comodidades de uma vida de luxo, diante da simplicidade e do comedimento professada pelo Evangelho.

“Esta é a razão do chamado do Papa aos bispos, ou seja, para que não vivam como príncipes e perdendo o tempo com intrigas. Por que o papa disse tudo isso aos bispos? Porque são um desastre e a população está indignada com os padres, com os bispos; está indignada com os abusos sexuais, com o dispêndio com que vivem e porque, ao final, não dão um exemplo de vida cristã”, reiterou.

Pecadores

Para o especialista em religiões, Fred Álvarez, o Papa Francisco, em seu discurso na Catedral, está reprovando os pecados que seus bispos cometeram e indicando que estão sendo vigiados desde o Vaticano.

Também considerou que foi um discurso muito ao estilo de Francisco, porque expõe claramente todas as deficiências que ele vê e que considera indispensáveis mudar.

“O bispo que quiser captar a mensagem, que a capte; a mensagem foi muito clara. O Papa Francisco demonstra que conhece bem todos os seus bispos. Esta é a razão do convite para que sejam transparentes, sem agir na escuridão”, reiterou.

Explicou que a alusão que o Papa Francisco faz à “casita” é uma referência ao fato de que os bispos vivem rodeados de luxo, em palacetes, andam em carros blindados e com séquitos que parecem chefes de Estado ou secretários de Estados.

Para Fred Álvarez, será interessante o encontro que o Papa Francisco terá, nesta terça-feira, em Morelia com religiosos pertencentes às ordens religiosas do país, pois, pelo fato de ser jesuíta, poderia fazer um discurso diferente daqueles aos bispos.

Nota da IHU On-Line:

A íntegra do discurso do Papa Francisco aos bispos mexicanos, em espanhol, pode ser visto e ouvido aqui.

Veja também:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco repreendeu os bispos porque são um ‘desastre’ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV