"O Papa me disse: vamos adiante, com serenidade e determinação", afirma bispo que trabalha na Santa Sé

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • O psicanalista analisa o "vazio de sentido". "A técnica domina, a política não decide, os jovens consomem e ponto". Entrevista com Umberto Galimberti

    LER MAIS
  • ''Estamos vendo o início da era da barbárie climática.'' Entrevista com Naomi Klein

    LER MAIS
  • Necropolítica Bacurau

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

04 Novembro 2015

D. Angelo Becciu, substituto da Secretaria de Estado do Vaticano, optou pelos 140 caracteres do Twitter para descrever seu encontro com o Papa Francisco: "Acabo de ver o Papa. Suas palavras textuais são: 'vamos adiante, com serenidade e determinação".

É uma declaração que consola, considerando o clima que se respira nestes dias convulsionados no Vaticano. D. Galantino, secretário geral da Conferência Episcopal Italiana - CEI, numa entrevista à TV 2000 e Blu Radio, a rede de difusão católica italiana, comentou o novo caso de filtração de documentos reservados do Vaticano: "É um ataque à Igreja, mas não sabia donde provém. Seguramente de alguém que está com medo do processo de renovação que o Papa Franscisco está levando adiante".

A informação é publicada por Vatican Insider, 03-11-2015 e por Corriere della Sera, 04-11-2015. A tradução é de IHU On-Line.

"Creio qeu alguém - acrescentou D. Galantino - tem medo de uma Igreja que começa a ser inatacável em alguns pontos, que começa a ser credível inclusive aos olhos dos não crentes, e isto está fazendo com que alguns percam a razão. Alguns ataques são absolutamente injustificaos".

"Estes quatro senhores - reforçou o secretario da CEI -, se é certo que disseram terem atuado para o bem do Papa, falaram bobagens e sabem que mentem, porque não se quer bem a uma pessoa apunhalando-a pelas costas ou lhe roubando convesações privadas e causando mal à Igreja. Está querendo se cobrir com uma folha de figueira a um furto e uma falta de confiança. É um gesto execrável".

"Espero que aqueles que na nossa Igreja - prosseguiu D. Galantino - se sentem atingidos pelos ritmos e as lógicas do Papa Francisco, que na realidade são os ritmos e as lógicas do Evangelho, espero que lhes seja de ajuda estas sacudidas. Espero que já não se repitam. Espero, além disso, que aqueles a quem lhes custa acolher este processo de renovação, sejam postos frente à realidade de certos comportamentos e digam: "Assim não dá, não estou fazendo o bem à Igreja". Paradoxalmente tudo isto poderá ser um fato positivo que pode mobilizar determinadas modalidades".

O secretário-geral da CEI depois declarou: "Encontrei o Santo Padre no domingo passado. Falamos de outras coisas e não disto, mas o Papa não me pareceu particularmente amargurado. Coloco-me em seus sapatos: qualquer filho da Igreja ante estes ataques concêntricos não tem como ficar indiferente".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"O Papa me disse: vamos adiante, com serenidade e determinação", afirma bispo que trabalha na Santa Sé - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV