Chaouqui acusa Balda: “Foi ele que fez tudo; eu tentei detê-lo”

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • “Existe uma luta política na Igreja, entre os que querem a Igreja sonhada pelo Vaticano II e os que não” constata Arturo Sosa, superior-geral dos jesuítas

    LER MAIS
  • O agrotóxico que matou 50 milhões de abelhas em Santa Catarina em um só mês

    LER MAIS
  • “Estamos diante de uma crise do modelo de civilização”. Entrevista com Donna Haraway

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 04 Novembro 2015

A italiana Francesca Chaouqui, detida junto com o padre espanhol Lucio Ángel Vallejo Balda por subtrair documentos reservados do Vaticano, disse à imprensa italiana que foi este quem vazou os documentos, assim como algumas gravações do Papa.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 03-11-2015. A tradução é de André Langer.

Chaouqui, ex-relações públicas e que foi membro da extinta comissão de investigação dos organismos econômicos e administrativos da Santa Sé, COSEA, disse em uma entrevista que “foi ele que fez tudo; eu tentei detê-lo”.

“Não tenho nada a ver com corvos. Demonstrarei a minha inocência. Estou tranquila, me sinto bem com minha consciência. Contei somente a verdade a quem está investigando o caso do vazamento de documentos na cúria”, acrescentou Chaouqui.

O Vaticano comunicou a prisão durante o final de semana de ambos no marco de uma investigação pelo vazamento de documentos e outros materiais considerados reservados. A ex-conselheira do COSEA ficou em liberdade, mas à disposição do promotor de Justiça do Vaticano, Gian Piero Milano, por ter colaborado. O padre espanhol encontra-se ainda preso.

Vallejo Balda foi secretário da comissão de investigação dos organismos econômicos e administrativos da Santa Sé e a imprensa italiana explica que foi ele quem introduziu Chaouqui nos ambientes vaticanos.

Em uma conversa publicada pelo Corriere della Sera, Chaouqui reitera que foi o monsenhor quem quis “metê-la em confusão” e assegura sobre o Vaticano: “Aqui se respira uma atmosfera tensa”. “Respira-se uma atmosfera de foice no escuro, sobretudo por causa de nomeações que aconteceram, pois o monsenhor primeiro esperava ser secretário da Secretaria de Economia e depois revisor-geral da Santa Sé”, acrescenta Chaouqui, referindo-se a Vallejo Balda.

Chaouqui declarou em uma entrevista anterior que é amiga do jornalista Gianluigi Nuzzi, um dos autores dos dois livros que serão publicados esta semana em 23 países e nos quais são incluídos documentos e informações vazadas pelos, de novo, chamados “corvos” do Vaticano.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Chaouqui acusa Balda: “Foi ele que fez tudo; eu tentei detê-lo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV