É hora de abandonarmos todo o apoio à manutenção de armas nucleares, afirma bispa metodista

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Francisco e as uniões homossexuais

    LER MAIS
  • “A dignidade é a resposta popular ao cinismo aberto dos que estão no poder”. Entrevista com Slavoj Žižek

    LER MAIS
  • Dom Paulo Cezar Costa, novo Arcebispo de Brasília. Nota da Comissão Justiça e Paz de Brasília

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


07 Agosto 2015

“É hora de abandonarmos todo o apoio à manutenção de armas nucleares. Chegou o momento de recusarmos a aceitar que a destruição em massa de outros povos possa ser uma forma legítima de proteção de nós mesmos”, disse a Bispa Mary Ann Swenson, em um discurso anglicano-católico na Catedral Católica Memorial da Paz, em Hiroshima, no dia 5 de agosto.

A reportagem foi publicada por World Council of Churches, 05-08-2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa

Swenson, membro da Igreja Metodista Unida nos Estados Unidos e vice-moderadora do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas – CMI, está conduzindo uma delegação de líderes religiosos em peregrinação no Japão para lembrar os bombardeios atômicos ocorridos nos das 6 e 9 de agosto de 1945.

Em sua alocução, Swenson salientou que as igrejas têm um “testemunho a dar”.

“Os líderes religiosos nesta peregrinação do CMI são de sete países que dizem que ser a favor de um mundo sem armamento nuclear. No entanto, passam-se anos, passam-se décadas, e os nossos sete governos estão prontos, mais do que nunca, a usar armas nucleares. Setenta anos depois da destruição deste local, um total de 40 governos ainda confiam no uso de armas nucleares”, disse ela.

“É chegado o momento de julgarmos os armamentos e o uso de energia por seus efeitos sobre as pessoas e sobre a criação de Deus. É chegado o momento de confessarmos que o nosso desejo de conforto material e conveniência nos distancia das preocupações para com a origem e quantidade da energia que consumimos”, acrescentou Swenson.

Os religiosos presentes na peregrinação no Japão representam igrejas membros do CMI dos Estados Unidos, Alemanha, Japão, República da Coreia, Noruega, Holanda e Paquistão. Eles estão realizando reuniões com sobreviventes dos ataques feitos com bombas atômicas, membros de igreja locais, líderes religiosos e autoridades do governo, na busca de chamar a atenção da comunidade internacional sobre o tema, a partir de Hiroshima e Nagasaki.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

É hora de abandonarmos todo o apoio à manutenção de armas nucleares, afirma bispa metodista - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV