Luteranos e católicos rumo à celebração ecumênica do Jubileu da Reforma de 2017

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • 23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • Cisma: uma noção que mudou ao longo dos séculos. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Julho 2015

"A maior confiança ecumênica entre as nossas duas Igrejas nos permite pensar em alguns âmbitos para uma preparação compartilhada da comemoração dos 500 anos da Reforma em 2017." Foi o que escreveu o presidente da Igreja Evangélica da Alemanha (EKD, na sigla em alemão), o pastor Heinrich Bedford-Strohm, ao presidente da Conferência Episcopal Alemã (DBK, na sigla em alemão), o cardeal Reinhard Marx.

A reportagem é da agência Notizie Evangeliche (NEV), 09-07-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Para o cardeal católico, o convite da EKD que lhe foi dirigido no fim de junho é, para todos os efeitos, "a expressão de relações baseadas na confiança recíproca. É a demonstração de que a EKD quer celebrar o Jubileu da Reforma não sem envolver os seus parceiros ecumênicos".

Através do diálogo ecumênico das últimas décadas, afirma o cardeal Marx, foi se criando a consciência de que "a nossa fé em Jesus Cristo, a leitura das Sagradas Escrituras e o vínculo sacramental do batismo nos ligam profundamente".

Acrescentando que, com a comemoração da Reforma, todas as duas grandes Igrejas alemãs têm a responsabilidade comum de "não pôr em risco a proximidade alcançada; ao contrário, temos a responsabilidade de tornar visível a nossa unidade na fé e a lhe dar uma forma que permita que os cristãos se sintam fortalecidos e que aqueles que estão longe das nossas Igrejas nos percebam como irmãos e irmãs na fé".

A EKD, portanto, em vista dos 500 anos da Reforma, que cairá no dia 31 de outubro de 2017 (a 500 anos da fixação das 95 teses na porta da Schlosskirche de Wittenberg pelo monge agostiniano Martinho Lutero), já traçou um programa com alguns eventos conjuntos.

Em particular, está prevista para a segunda metade de outubro 2016 uma peregrinação ecumênica para a Terra Santa, com participantes da EKD e da DBK. Além disso, em meados de 2016, há a ideia de organizar um congresso conjunto sobre a revisão da Sagrada Escritura.

Para o dia 11 de março de 2017, em Berlim, está prevista uma celebração ecumênica de reconciliação. No dia 14 de setembro de 2017, a EKD, junto com a DBK e outros parceiros ecumênicos, convida para uma celebração por ocasião da festa da Exaltação da Santa Cruz.

Já para meados de 2017, está agendado um simpósio ecumênico que tem por objetivo produzir uma declaração conjunta de católicos e protestantes sobre o futuro dos cristãos em uma sociedade cada vez mais secularizada.

A EKD e a DBK convidaram todas as Igrejas presentes na região para participar das atividades de 2017.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Luteranos e católicos rumo à celebração ecumênica do Jubileu da Reforma de 2017 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV