Podemos propõe a reestruturação da dívida

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • Bolívia. Breve reflexão a partir do golpe de Estado de 10 de novembro de 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 27 Fevereiro 2015

Pablo Iglesias afirmou que o gasto com os juros da dívida é de 100 milhões de euros por dia, rebatendo Mariano Rajoy, que havia dito que a economia espanhola já não se baseia no endividamento. Propôs um imposto sobre a riqueza.

A reportagem está publicada no jornal argentino Página/12, 26-02-2015. A tradução é de André Langer.

O líder do partido político espanhol Podemos, Pablo Iglesias, afirmou na quarta-feira que, se ganhar as eleições, criará um imposto sobre a riqueza e renegociará a dívida de seu país. Além disso, desafiou o chefe do governo conservador, Mariano Rajoy, a enfrentá-lo em um debate na televisão.

O dirigente do partido que nasceu no calor do movimento dos indignados falou no Círculo de Belas Artes, onde explicou alguns dos seus objetivos no caso de ser eleito presidente no final do ano. Por exemplo, disse que planeja implantar um imposto sobre a riqueza, à semelhança do que fez François Hollande na França; benefícios para empreendedores e autônomos; a diminuição do IVA cultural; e promover a progressividade fiscal para que paguem mais os que têm mais. “Sabemos que necessitamos dos ricos, mas vamos pedir que tenham responsabilidade”, disse Iglesias. Justificou a sua decisão na potencial contribuição que este setor poderia dar à economia espanhola, já que indicou que só com esse imposto se arrecadaria o equivalente a 0,23% do PIB.

O líder do Podemos rebateu muitas das afirmações do presidente do governo conservador, como aquelas que faziam alusão ao fato de que a economia espanhola já não se baseia no endividamento ou que o país conseguiu sair da crise. “A dívida não deixou de crescer desde que iniciaram as políticas de austeridade, passando de 35% do PIB, em 2007, para quase 100% na atualidade”, disse o cientista político Iglesias. Neste sentido, apontou que o gasto com os juros da dívida é de 100 milhões de euros por dia e afirmou que é necessário reestruturar a dívida, mas de um modo ordenado e coerente. Iglesias denunciou que Rajoy se gabou, em seu discurso da terça-feira, de ter superado a crise mantendo a coesão social, mas rebateu suas afirmações ao assinalar que 100 mil pessoas morreram durante o seu mandato esperando as ajudas.

Em um tom mais desafiante, o líder do Podemos desafiou o presidente do governo para um debate na televisão nas condições indicada pelo presidente. “A Espanha merece um debate entre você e eu. Um debate sem outras forças políticas, um cara a cara, posto que o Podemos é a força política com maiores possibilidades de vencer as eleições”, afirmou. Depois, Iglesias dirigiu-se aos cidadãos, os quais assinalou como os verdadeiros depositários da soberania e os responsáveis últimos pela mudança política. “O Congresso ao qual me dirijo de fora é um símbolo”, disse Iglesias, “mas a soberania é dos cidadãos”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Podemos propõe a reestruturação da dívida - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV