O primeiro encontro entre Müller e Fellay

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa doa aos pobres um prédio de luxo a poucos passos de São Pedro

    LER MAIS
  • Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção

    LER MAIS
  • “Infelizmente, a história da escravidão é contada por pessoas brancas”. Entrevista com Laurentino Gomes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 04 Setembro 2014

Os contatos entre a Fraternidade São Pio X e a Santa Sé nunca foram interrompidos. Apesar da falta de ações ou encontros oficiais, a relação continuou de maneira não oficial. E agora se confirma por parte dos lefebvrianos a notícia de um encontro do superior, dom Bernard Fellay (foto), e o cardeal prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e presidente da Comissão Ecclesia Dei, GerhardLudwig Müller. O encontro deverá acontecer provavelmente no próximo dia 21 de setembro.

 
Fonte: http://bit.ly/1w63DTK  

A reportagem é de Andrea Tornielli e publicada no sítio Vatican Insider, 03-09-2014. A tradução é de André Langer.

É a primeira vez que Fellay encontra o novo prefeito do ex-Santo Ofício, após sua nomeação em 2012. Como se recordará, um dos últimos atos do seu predecessor, o americano William Joseph Levada, foi a entrega ao superior da Fraternidade de um texto que continha uma espécie de preâmbulo doutrinal preparado pela Congregação para a Doutrina da Fé e aprovado pelo Papa. O documento era considerado a condição para proceder a um enquadramento canônico que teria levado a Fraternidade e seu clero a regularizar a própria posição no seio da Igreja católica.

Aquele texto não foi aprovado, por causa também do debate interno dos próprios lefebvrianos. E a nomeação de Müller como sucessor de Levada por Bento XVI, não foi acolhida com entusiasmo pela Fraternidade, por causa das diversas posições expressas pelo prelado durante os anos transcorridos como bispo de Regensburg.

Não é nenhum segredo que havia e há, também no interior da Congregação para a Doutrina da Fé, quem queria encerrar o tema da negociação com os lefebvrianos com um ultimato. No caso de falta de acordo sobre os temas doutrinais, há quem esperava uma nova declaração oficial para selar a ruptura. Mas o Papa Francisco quer proceder com calma, e visto que as relações na realidade nunca foram interrompidas, o diálogo continua. E demonstra-o encontro entre Fellay e Müller.

Como se recordará, nos últimos dois meses houve uma breve e informal saudação entre dom Fellay e o Papa Francisco ao final de uma janta na Residência Santa Marta. Um contato direto o Papa Bergoglio teve com dom Christian Bouchacourt, que foi responsável pela Fraternidade na Argentina e a quem havia encontrado várias vezes como arcebispo de Buenos Aires. Bouchacourt foi chamado nas últimas semanas para ser o superior da Fraternidade na França. Ao sacerdote conhecido na Argentina, em uma conversa cujo conteúdo foi tornado público pelo próprio Fellay, o Pontífice teria confessado não ter intenção de pronunciar novas excomunhões aos lefebvrianos.

Nos últimos dias, foi divulgada pela internet, em um boletim oficial da Fraternidade, a notícia relativa a uma missa celebrada por um sacerdote lefebvriano francês na Basílica de São Pedro, no altar dedicado a São Pio X, que contém os restos do Papa Sarto. Na liturgia, celebrada no rito antigo e filmada, estavam presentes diversos fiéis que participavam da peregrinação dirigida pelo sacerdote, o abade Michel de Sivry.

Mesmo se você não se recordar de imagens gravadas de missas na Basílica de São Pedro celebradas por padres da Fraternidade até este momento, este fato não é algo inédito. Se não se trata de missas de horário e se não se faz publicidade, mas se trata de celebrações privadas, geralmente não se costuma colocar objeções.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O primeiro encontro entre Müller e Fellay - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV