Norte-americanos estão conscientes do impacto dos seus hábitos de consumo no meio ambiente

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • 15 de agosto de 1222: o sermão de São Francisco. “Os anjos, os homens, os demônios”

    LER MAIS
  • Hoje mais do que nunca, Argentina! A advertência de Noam Chomsky

    LER MAIS
  • Guerra comercial: por que Trump vai perder

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Agosto 2014

“Os norte-americanos são responsáveis por muitos dos problemas ambientais porque consomem mais recursos e produzem mais resíduos na comparação com outros países.” Com essa afirmação, concordaram 70% dos cidadãos norte-americanos entrevistados para o estudo “Novo Sonho Americano”. A pesquisa foi realizada pela PolicyInteractive para o Centro para um Novo Sonho Americano entre março e abril deste ano com 1.821 norte-americanos com mais de 18 anos de idade.

alt

A reportagem foi publicada pelo sítio Akatu, 21-08-2014.

O estudo identificou que 85% dos norte-americanos estão conscientes de que mudanças substanciais no modo de vida são necessárias para proteger o meio ambiente. Eles também estão cientes da produção excessiva de resíduos no país: 91% concordaram que o seu modo de vida produz muitos resíduos.

A pesquisa, que investiga os anseios dos norte-americanos, abordou assuntos como economia, meio ambiente, publicidade e saúde, com as mesmas perguntas feitas para o estudo anterior, há 10 anos. As conclusões do levantamento indicam que o “sonho americano” segue mais o caminho da sustentabilidade do que o do consumismo: valorizam mais a liberdade pessoal, a oportunidade de explorar o seu potencial individual e a integração com a natureza. Além disso, 38% dos entrevistados tomou providências nos últimos cinco anos para diminuir a carga horária de trabalho, mesmo que isso acarretasse uma remuneração financeira mais baixa.

No Brasil, o Instituto Akatu identificou um crescimento da compreensão sobre sustentabilidade e do interesse por informações. O contingente de brasileiros que “ouviram falar” do termo sustentabilidade aumentou de 44% para 60% em dois anos, bem como o interesse de buscar informações sobre o tema (de 14% para 24%), revelou a pesquisa Pesquisa Akatu 2012: Rumo à Sociedade do Bem-Estar. Quando comparado a diversos outros, os dois únicos temas que tiveram expressivo crescimento no nível de interesse do consumidor foram justamente o da Responsabilidade Social Empresarial e o da Sustentabilidade: em 2010, ambos estavam em um patamar inferior a todos os demais e, em 2012, 24% apontaram seu interesse no tema Sustentabilidade e 25% em Responsabilidade Social Empresarial, praticamente ao mesmo nível de temas tradicionais, como Empresas/Negócios (26%) e Política (30%).

O levantamento conclui também que houve crescimento na adesão a práticas de consumo consciente no Brasil, ainda que, nesse momento, apenas de maneira eventual e não contínua. De 11 comportamentos considerados indicativos de consumo consciente, quando se adiciona aos consumidores que aderem “sempre” a esses comportamentos aqueles que aderem “às vezes”, oito comportamentos apresentaram aumento em relação a 2010, entre eles: planejar a compra de alimentos e roupas, desligar lâmpadas, fechar torneiras, usar o verso do papel, e ler rótulos dos produtos.

Esta tendência é reforçada por outro importante resultado da pesquisa feita pelo Akatu: solicitados a priorizar seus desejos, os entrevistados optaram, em uma significativa maioria, por soluções mais sustentáveis. Em cinco dos oito temas propostos (afetividade, alimentos, água, mobilidade, durabilidade, energia, resíduos e saúde), eles deram preferência a alternativas mais ligadas ao “caminho da sustentabilidade” do que as relacionadas ao “do consumismo”. Um exemplo é o tema da afetividade, que possui a maior diferença entre os consumidores que preferem o cenário mais sustentável (passar tempo com amigos e família – com índice de prioridade de 8,3 em uma escala de 0 a 10) ao invés do consumista (comprar presentes – com índice de 2,6). Vale destacar que a preferência pelo “caminho da sustentabilidade” ocorre em todas as classes sociais, faixas etárias e em todos os segmentos socioeconômicos e geográficos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Norte-americanos estão conscientes do impacto dos seus hábitos de consumo no meio ambiente - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV