Primeiro mapa global dos ‘ativos ecossistêmicos’ é apresentado pelo PNUMA

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Apoio do papa a uniões gays não é uma surpresa, mas é muito significativo. Artigo de James Alison

    LER MAIS
  • Coluna “Rumo a Assis: na direção da Economia de Francisco”

    O propósito da tecnologia e do humano: Dados, reflexões e possibilidades para a Economia de Francisco

    LER MAIS
  • Papa Francisco, uniões civis e o reconhecimento da intimidade. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Agosto 2014

O Centro de Monitoramento da Conservação Mundial (WCMC em inglês) do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) está lançando um mapa que é o primeiro a conter uma composição com o que se chama de ‘ativos ecossistêmicos’, abrangendo tanto o meio marinho quanto terrestre global.

A reportagem é de por Fernanda B. Müller, publicada pelo portal CarbonoBrasil, 08-08-2014.

Entre os ‘ativos ecossistêmicos’ estão a biodiversidade, a água potável, o carbono orgânico, os estoques pesqueiros e a qualidade do solo. O mapa do PNUMA é baseado em um relatório que contém conceitos e informações sobre o assunto.

O mapa revela os hotspots para múltiplos “ativos”, por exemplo, nas áreas remanescentes de florestas.

No geral, é possível constatar que os “ativos marinhos” estão concentrados no sudeste asiático e ao longo da zona costeira (especialmente na costa oeste da América do Sul, África e Europa). Já os “ativos terrestres” se concentram em regiões equatoriais e em parte do Canadá e da Rússia.

O WCMC ressalta a significância global e a necessidade de priorização de conservação e restauração que deve ser dada a essas áreas, mas alerta que mapeamentos locais precisam ser feitos para identificar outros locais importantes que não foram considerados em escala global.

Além disso, é enfatizado que os recursos naturais e o valor monetário dos ativos ecossistêmicos não estão incluídos nesse relatório e que uma avaliação de ambos os fatores é o próximo passo para “a compreensão integral da contribuição do capital natural para o bem-estar humano”.

“Os ativos ecossistêmicos representam apenas uma parte do capital natural. Visando produzir um mapa global abrangente do capital natural, toda a gama de ativos ecossistêmicos e recursos naturais precisa ser mapeada”, pondera a publicação.

Assim, o relatório foca nos ativos ecossistêmicos, um dos componentes do capital natural, segundo os conceitos assumidos pelo WCMC. Os ‘ativos’, segundo a publicação, são os estoques que permitem o fluxo dos serviços ecossistêmicos que beneficiam a humanidade.

Segundo a Convenção sobre Diversidade Biológica, pelo menos 40% da economia global e 80% das necessidades dos pobres são derivadas de recursos biológicos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Primeiro mapa global dos ‘ativos ecossistêmicos’ é apresentado pelo PNUMA - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV